Certezas não tão certas assim

Atualizado: 21 de Set de 2018

E se você estiver errado? Você já pensou nessa possibilidade? Em meio a tantas perguntas, buscas por certezas e gritos de convicção, existe a possibilidade de você estar errado sobre vários assuntos. Alguns assuntos não têm tanta importância; são apenas preferências. Porém, nem tudo é assim. Algumas decisões impactam relacionamentos, finanças, carreira, família e, mais importante de tudo, a eternidade. Por isso, é necessário refletir sobre a base em que suas certezas ou convicções são construídas. Ou não?


Meu objetivo não é atormentar você com dúvidas, mas por em prova suas certezas. Não tenho interesse em ver você aflito, mas espero que encontre descanso num fundamento sólido. Para isso, precisamos rever as bases falsas, insuficientes e incompletas de certezas que ofuscam o crescimento de uma fé madura e resistente. Assim, afirmamos o que é certo e edifica. Assim, conhecemos mais de uma Pessoa, o Senhor Jesus Cristo, ao invés de nos equilibrar num sistema frágil de convicções sem lastro.


Um sistema frágil

Em dias de acesso fácil e rápido a tantas informações, o desafio hoje é escolher o que tem valor. A questão não é a quantidade de informação, mas a qualidade dela. Por isso, no caminho da maturidade, precisamos estar prontos para examinar nossas bases de certezas. A própria Palavra de Deus coloca para nós os pilares de um sistema frágil de convicções.

Considere:


1) A fragilidade da razão pessoal

Nem tudo o que faz sentido para você é certo. Convicções criadas no seu próprio entendimento não irão lhe sustentar por muito tempo. As intensas provações abalam nossos sentidos e atacam nossa razão. Provações tem a capacidade (e num certo sentido, até mesmo o propósito) de nos fazer reavaliar o que acreditamos. Nesse ponto, se suas convicções estiverem baseadas apenas no que faz sentido para você, a "casa irá cair". Novas circunstâncias irão trazer novas possibilidades, abalando o que você sempre acreditou para lhe purificar daquilo que você se enganou. Novas circunstâncias também irão trazer novas possibilidades, afirmando o que você sempre acreditou para lhe encorajar no caminho certo. Portanto,


"Confie no Senhor de todo o coração; não dependa de seu próprio entendimento.

Busque a vontade dele em tudo que fizer, e ele lhe mostrará o caminho que deve seguir.

Não se impressione com sua própria sabedoria; tema o Senhor e afaste-se do mal.

Então, você terá saúde para o corpo e força para os ossos."

(Provérbios 3.5-8 NVT)


"O sábio é cauteloso e evita o perigo; o tolo confia demais em si mesmo e se precipita."

(Provérbios 14.16 NVT)


2) O engano das opiniões do próximo

Sem dúvida, "ter muitos conselheiros lhe dá segurança" (Provérbios 11.14b NVT). Mas de que forma que os conselhos e opiniões do próximo são úteis na construção de uma fé madura? Existe uma linha tênue que separa o ouvido aberto a conselhos buscando um

coração sábio versus um coração inseguro buscando aprovação de pessoas e falsa segurança. As duas posturas externas podem ser muito parecidas, mas fluem de corações radicalmente diferentes. De forma última, apenas o Senhor é capaz de diferenciá-los. Porém, você precisa pensar se está aprendendo a sabedoria ou se está se tornando escravo do temor a homens:


  • O que eu estou ouvindo está de acordo com as Escrituras?

  • Como que esse conselho me ajuda a conhecer mais de Jesus?

  • Estou buscando uma segurança que só pode ser encontrada em Deus?

  • O que irá acontecer se eu decidir o contrário desse conselho? O quanto que isso é importante para mim? Por quê?

Ouvir conselhos é importante e um sinal de maturidade. Mas não se esqueça,


"O ingênuo acredita em tudo o que ouve; o prudente examina seus passos com cuidado."

(Provérbios 14.15 NVT)


Um fundamento sólido

Ouvir a si mesmo é um problema. Ouvir conselhos pode ser complicado. Para onde correr? Que tal, para quem correr?! O problema das certezas não tão certas assim não está na quantidade de informações que você adquiriu, mas em quem você conhece. As certezas que irão lhe sustentar não estão limitadas a fatos, mas estão contidas numa Pessoa, o Senhor Jesus Cristo. Ele é a Verdade (João 14.6). As certezas que você tanto anseia estão nEle e são conhecidas por meio de um relacionamento de fé (Colossenses 2.3). Esse relacionamento de fé irá levá-lo a conhecer e aprender mais dEle, que é manso e humilde de coração (Mateus 11.29).


Assim, afirmamos que Jesus é a Verdade. Jesus é humilde e manso de espírito. Seguindo a Jesus, revelado nas Escrituras, iremos afirmar a Verdade com convicção e com o espírito humilde de discípulos. "E a vida eterna é isto: conhecer a ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste ao mundo" (João 17.3 NVT).


Conhecendo Jesus junto com vocês.


Editorial do Pr.Alexandre "Sacha" Mendes



© 2018 Igreja Batista Maranata. Todos os direitos reservados.