Dando o Próximo Passo Como Mulher

Atualizado: Set 11

Como mulheres da era atual, constantemente lidamos com dificuldades no que diz respeito à feminilidade bíblica. Temos inúmeras pregações e passagens nas Escrituras que falam a respeito do tema, mas também temos as distorções pecaminosas de um passado de abuso contra as mulheres, que culminaram em novas conquistas de direitos que parecem extremamente necessárias e bem-vindas aos nossos olhos. Em meio a tanta confusão, a solução está em nos voltarmos para a Palavra do Senhor, e confiarmos no que Ele diz sobre nossa natureza e real propósito.


Quando olhamos para o início de tudo, vemos que o Senhor nos criou, mulheres, logo após a criação do homem, e imediatamente nos deu nosso propósito (Gênesis 2.18). Ele é tão amoroso que não nos deixou nem um segundo que fosse sem sabermos para o que exatamente fomos criadas, e onde encontraríamos nosso propósito e verdadeira satisfação. “Auxiliadora idônea”, “companheira que lhe corresponda” e “ajudadora que esteja à altura” são alguns dos termos conhecidos no meio evangélico. A essência desses termos pode ser resumida em alguém competente e capaz, igual em essência e dignidade, mas com diferentes dons e papéis, que complementam e possibilitam a conclusão de uma missão que antes era impossível! Incrível, não é mesmo? Foi assim que Deus transformou um “não é bom” (Gênesis 2.18) em um “muito bom” (Gênesis 1.31)!


Em nenhum momento somos diminuídas em nossa criação, e ainda temos o privilégio de sermos comparadas ao próprio Senhor em Sua função de Ajudador dos Seus filhos. A palavra usada para “ajudadora” também aparece em referência ao Senhor, enfatizando que Ele é o nosso Ajudador (Hebreus 13.6). Não é como se o Senhor fosse um auxiliador de segunda categoria, não é mesmo? Afinal, sem o Senhor, nada podemos fazer (João 15.5). Isso deve nos levar à conclusão de que, assim como somos as ajudadoras indispensáveis dos homens, o Senhor é o nosso maior Ajudador. É incrivelmente belo quando uma mulher tem a graça do Espírito derramada sobre ela possibilitando que compreenda e ame seu papel atribuído pelo Senhor, mas também é incrivelmente decepcionante quando, no dia a dia, percebemos nossa incapacidade e insuficiência na realização desse papel.


Essa realidade nos lembra da importância de nos voltarmos ao nosso Criador que conhece nossas limitações, nos derramarmos em Sua presença, e com sinceridade, descansarmos nos méritos do Senhor Jesus Cristo, que cumpriu perfeitamente o papel de nosso Ajudador, nos salvando dos nossos pecados e da futilidade de uma vida sem propósitos. Agora, saber que o Senhor é o perfeito Ajudador que supre todas as áreas em que falhamos, não deve nos acomodar, certo? Antes, deve nos impulsionar cada vez mais a olharmos para dentro de nós, (sejamos nós solteiras, casadas, casadas com filhos, viúvas, ou qualquer outro estado possível) avaliando se temos feito todo o possível para sermos ajudadoras na obra de expansão do Reino do Senhor. Quando a missão de Cristo for a nossa maior aspiração, a nossa maior ambição, seremos capazes de encontrar a força e a graça necessárias para preenchermos todas as lacunas e necessidades de nosso lar e de nossa igreja para a glória de Deus.


Tendo brevemente definido a feminilidade bíblica, e ainda mais brevemente encorajado e desafiado cada uma de nós a viver isso com intensidade em todos os nossos relacionamentos e áreas de convívio, quero propor alguns passos práticos baseados em textos bíblicos para nossa reflexão. Eu me proponho a dar esses passos em direção à minha plenitude como mulher cristã, vocês virão comigo? Espero que sim! Esse é meu desejo e minha oração.


1. Ela é valiosa, mais valiosa que finas joias (Provérbios 31.10). Com suas habilidades ela agrega valor a tudo em que coloca as mãos, e produz com diligência. Sua casa, os ministérios da igreja em que ela está atuando, seus colegas de profissão, todos serão abençoados com as obras de suas mãos (Provérbios 31.11).


2. Ela é conhecida por sua bondade, e todos os dias de sua vida são impulsionados pela pergunta: Como posso, no dia de hoje, fazer o bem ao meu próximo? Em reflexo dessa busca incansável por ser útil, seu marido, seus filhos, seus amigos, todos confiam nela na execução de tarefas bem-feitas (Provérbios 31.11, 12)!


3. Ela busca desenvolver talentos manuais ou hobbies com propósitos e utilidades. Ela se exercita em tarefas que possam ser úteis para o bom andamento de sua casa e de sua comunidade (Provérbios 31.13–26). Mas, perceba! Não são apenas os de sua casa que são beneficiados com seu trabalho. A quem seu trabalho alcança? Seu marido e seus filhos com certeza, mas também os aflitos, os necessitados, e usando bem o tempo, com certeza seu trabalho alcança sua igreja. Até os mercadores usufruem dos talentos dessa joia rara (Provérbios 31.23, 24, 31). Ela sabe que sua missão de ajudadora pode começar em sua casa, mas com certeza não termina e não se limita a ela! Temos cada uma de nós, casada ou solteira, olhado para as necessidades de nossa igreja?


4. Ela faz uma autoavaliação honesta e frequente de sua caminhada cristã (Provérbios 31.18). Essa mulher não é impulsionada por elogios ou necessidade de reconhecimento por seu trabalho. Ela não precisa de um chefe cobrando produtividade, e nem de um "coach" a arrastando para frente. “Ela sabe que seu ganho é bom!”. Ela tem condição de olhar para si e ver que suas obras estão de acordo com a vontade do Senhor. Ela é impulsionada pelo temor do Senhor (Provérbios 31.30). O que temos usado como desculpa hoje para não fazermos aquilo que já sabemos que o Senhor está pedindo a nós?


5. Ela não tem preocupações quanto ao dia de amanhã (Provérbios 31.25)! Quantas de nós temos dificuldades com a ansiedade? Dormimos pensando no que vamos cozinhar no outro dia, como vamos nos sair nas provas da faculdade, como nossos filhos se sairão no primeiro dia de aula, de onde virá o recurso financeiro para pagar as contas do mês e por aí vai. Essa mulher não tem essas preocupações, porque “a dignidade e a força são os seus vestidos”. Ela não teme o amanhã, não porque os problemas não virão, mas porque ela sabe que a solução para todos eles está no Senhor. No Senhor ela terá força para enfrentar as dificuldades, e dignidade para se comportar com nobreza quando aplicar os princípios do Senhor na resolução dos conflitos.


6. Ela ensina e discipula a comunidade de fé. Todos quantos necessitam de sabedoria podem contar com seu auxílio (Provérbios 31.26): “Ela fala com sabedoria, e a instrução da bondade está na sua língua”. Repare que o conhecimento que ela tem não está guardado apenas para ela, ele é compartilhado. E como ele é compartilhado? Com bondade! Ela não está ali para julgar, mas para com bondade conduzir o próximo para mais perto da vontade do Senhor pelo seu exemplo de vida.


7. Ela atende ao bom andamento das atividades e não é preguiçosa (Provérbios 31.27)! Estamos atentas às atividades que precisam ser realizadas, administrando bem nosso tempo ao fazê-las? Ou estamos apenas desistindo e pensando que o dia precisa de 48 horas? Deus nos deu exatamente o tempo de que precisamos!


8. Ela não se define pela sua aparência externa (Provérbios 31.30), apesar de também cuidar do seu condicionamento físico (Provérbios 31.17). Ela não gasta tempo demais com sua vaidade, mas ela também não se esquece de que, sem um bom preparo de seu corpo, ela não será capaz de realizar suas boas obras. O perfeito equilíbrio!


9. Ela não é impulsionada pelo reconhecimento, mas o reconhecimento vem até ela como resultado de sua vida de obediência ao Senhor (Provérbios 31.28, 29, 31). Pela graça do Senhor, a comunidade e a família reconhecem que o trabalho dela no Senhor não é em vão!


Concluo assim meus apontamentos:


“Graças a Deus, que nos dá a vitória por intermédio de nosso Senhor Jesus Cristo. Portanto, minhas amadas irmãs, sede firmes e constantes, sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que no Senhor, o nosso trabalho não é vão” (1 Coríntios 15.57, 58 – adaptação da autora).


Editorial de Mariana Ceron de Souza Cavalcante