Não resista ao Espírito do Natal

Natal?! Sim, Jesus veio ao mundo! Deus veio ao mundo encarnado num pequeno bebê. Um bebê que virou menino. Um menino que amadureceu num homem. Um homem que viveu uma vida que você e eu não conseguimos viver; Ele cumpriu a lei. O Deus-homem que morreu. Um morto que ressuscitou, para que todos aqueles que vivem não vivam mais para si mesmos, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou (2 Coríntios 5.15)! Bendita esperança contada na história do Natal. O triste é que nem todo mundo reconhece a esperança do Natal.


A negação da realidade do Natal não é exclusiva de nosso tempo. Logo no primeiro século, falsos mestres já negavam a realidade contada no Natal. Literalmente, eram homens que resistiam ao Espírito do Natal.


“Amados, não acreditem em todo espírito, mas ponham-no à prova para ter a certeza de que o espírito vem de Deus, pois há muitos falsos profetas no mundo. Assim sabemos se eles têm o Espírito de Deus: todo espírito que reconhece que Jesus Cristo veio em corpo humano é de Deus, mas todo espírito que não reconhece a verdade a respeito de Jesus não é de Deus. Esse é o espírito do anticristo, sobre o qual vocês ouviram que viria ao mundo e,

de fato, já está aqui.”

(1 João 4.1-3 NVT – ênfase pessoal)


O apóstolo João alertou os cristãos quanto a um falso ensino. Um falso ensino que negava a realidade da encarnação de Jesus e que deveria ser exposto. O teste era simples: você reconhece que Jesus veio em carne? Diante de tanta confusão teológica, o simples teste ajudava os verdadeiros cristãos a perseverarem na fé. Crer na verdade era importante e continua sendo igualmente importante.


Porém, a confusão não era só no campo das ideias. Negar a realidade da encarnação de Cristo tinha implicações morais na comunidade de seguidores de Jesus. Uma coisa puxava a outra. Crer e viver andam de mãos dadas! Não reconhecer que Jesus Cristo veio em carne era negar o Espírito de Deus. Negar o Espírito de Deus levava a viver uma vida longe de Deus. O apóstolo João instruiu os cristãos a uma vida ética e coerente com a realidade do Natal. Não resista ao Espírito do Natal! Jesus veio em carne, por isso...


1) Mantenha a comunhão uns com os outros


Não resista ao “Espírito do Natal” deixando de desfrutar de comunhão uns com os outros. Comunhão não é o mesmo que sentar ao redor de uma mesa farta usando sua melhor roupa. A verdadeira comunhão acontece ao redor de Cristo, o verdadeiro sentido do Natal, do qual compartilhamos tudo em comum. Quando resistimos à comunhão uns com os outros, resistimos ao Espírito do Natal (1 João 1.7).


2) Obedeça à Palavra de Deus


Não resista ao “Espírito do Natal” deixando de obedecer a Palavra de Deus. Muitos cristãos têm um receio legítimo de serem legalistas numa espiritualidade marcada por uma obediência sem vida. Porém, acreditam que a graça de Deus isenta os filhos de Deus de obedecerem à Palavra de Deus. Engano. O espírito natalino é marcado por obediência aos mandamentos do Senhor (1 João 2.3, 4). Essa obediência não é penosa (1 João 5.2, 3), mas marcada por alegria (1 João 1.4) e uma fé que vence o mundo (1 João 5.4).


3) Não ame o mundo


Não resista ao “Espírito do Natal” amando as coisas do mundo. Durante a época do Natal, somos facilmente tentados a amar o mundo e as coisas do mundo. Com o décimo terceiro na mão, é comum vermos cristãos gastando com as coisas do mundo como se do mundo fossem. O verdadeiro Espírito do Natal nos exorta a não amar o mundo por causa das coisas que nele existem: “o desejo intenso por prazer físico, o desejo intenso por tudo que vemos e o orgulho de nossas realizações e bens” (1 João 2.16). Desfrute daquilo que Deus lhe confiou, sem colocá-las no lugar do próprio Deus.


4) Ame pessoas


A Bíblia não nos fala apenas sobre o que não amar, mas também direciona nossos corações para amar pessoas. O Espírito do Natal nos chama a amar pessoas, pois Deus nos amou primeiro (1 João 4.19). Quando somos lembrados do Natal, somos também lembrados a amar pessoas.


5) Testemunhe do Filho de Deus


Crer no Filho de Deus encarnado é ter o testemunho de nossa fé (1 João 5.10). E o testemunho é este: “Deus nos deu vida eterna, e essa vida está em seu Filho. Quem tem o Filho tem a vida; quem não tem o Filho de Deus não tem a vida” (1 João 5.11, 12). Durante os próximos dias, teremos inúmeras oportunidades de falar do verdadeiro sentido do Natal. Não deixe de testemunhar. Não resista ao Espírito do Natal.


Editorial do Pr. Alexandre "Sacha" Mendes



© 2018 Igreja Batista Maranata. Todos os direitos reservados.