Como detectar um fofoqueiro

Atualizado: 21 de Set de 2018

Algumas pessoas acreditam que informação é poder. São pessoas que buscam conhecer tudo sobre todos. Querem detalhes e se orgulham por saber segredos. Não importa se fazem parte do problema ou não. Muito menos se podem ajudar na possível solução. A Bíblia chama essas pessoas de maledicentes ou mexeriqueiros. Elas praticam o que comumente chamamos de fofoca.


Fofoca é tudo aquilo que é comunicado sobre alguém, verdadeiro ou não, para outra pessoa que não faz parte do problema nem da solução. A fofoca não contribui para o crescimento do corpo de Cristo. Por isso, ela não faz parte do que deve ocupar as conversas de cristãos engajados na edificação do corpo de Cristo: a igreja (Efésios 4.29).


O problema fica mais sério quando cristãos não são capazes de identificar a fofoca. Sutilmente, caem em ciladas, sem saber que estão lidando com um mexeriqueiro. Você precisa conhecer alguns traços do mexeriqueiro para não se envolver com ele: “O mexeriqueiro revela o segredo; portanto, não te metas com quem muito abre os lábios” (Provérbios 20.19). Considere cinco traços comuns do fofoqueiro/mexeriqueiro:


1) Um fofoqueiro geralmente testará seu espírito antes de lhe dar a má notícia.O que ele tem para dizer é sério e arriscado. O fofoqueiro sabe que precisa dar um tiro certeiro. Por isso, ele irá procurar sondar se terá um público atento para o que tem a dizer. Ele pode fazer isto pedindo sua opinião sobre a pessoa ou fazendo um comentário negativo e observando sua resposta.


2) Um fofoqueiro poderá criar um pretexto para gerar sua curiosidade sobre determinado assunto. Por exemplo, “Você ouviu isto sobre (a pessoa)?” O fofoqueiro saberá que tem um público para sua fofoca diante da reação à sua pergunta: “Não! O que aconteceu? É sério?!


3) Um fofoqueiro pode comunicar uma má notícia ao pedir conselho ou ao compartilhar uma preocupação pela pessoa envolvida. É aqui que a coisa começa a ficar bem sutil. São as fofocas disfarçadas de piedade e que passam desapercebidas numa reunião de oração. Fofocas vestidas de “pedidos de oração” são trocadas como se fossem favores à igreja. Muito pelo contrário, elas desestruturam a comunicação e a união do corpo de Cristo. Lembre-se, se você não é parte do problema nem da solução, não deveria estar falando sobre o assunto!


4) Um fofoqueiro pode usar as fofocas para levá-lo a admirar-se dele ou dela, por estar por dentro ou ter acesso a informações privilegiadas. O fofoqueiro acredita que possui algo muito especial. Para ele, informação é poder e combustível para seu orgulho. Por isso, ele acredita que ter as informações privilegiadas é uma dádiva digna de admiração e inveja.


5) Um fofoqueiro é geralmente aquele que evoca detalhes vívidos do mal e até mesmo procura por eles. Não satisfeito em saber informações gerais, o fofoqueiro irá buscar pelos detalhes. Quanto mais informação tiver, mais admirado ele acredita que será.

Esses são apenas alguns sinais do fofoqueiro. A maledicência veste vários disfarces e precisamos estar atentos para não cairmos em ciladas. Por isso, pense em como você pode barrar um fofoqueiro. Considere algumas perguntas para fazer antes de ouvir uma má notícia, possível fofoca:

  1. Qual é a sua razão para me contar?

  2. Onde você conseguiu sua informação?

  3. Você já falou com aqueles que estão diretamente envolvidos?

  4. Você pessoalmente já verificou todos os fatos?

  5. Eu posso citar o seu nome como fonte dessas informações se eu for tomar providências de tudo o que está me falando?

As perguntas acima podem lhe ajudar a filtrar o que você irá ouvir e até mesmo espantar um fofoqueiro em potencial. Esse é um assunto importante que precisa de nossa atenção. “A morte e a vida estão no poder da língua; o que bem a utiliza come do seu fruto” (Provérbios 18.21) e “o que guarda a boca conserva a sua alma, mas o que muito abre os lábios a si mesmo se arruína” (Provérbios 13.3).


Graças a Deus, temos esperança, salvação e orientação para lidar com a maledicência. Alguns de nós eram assim, maldizentes (1 Coríntios 6.9-11). Mas o sangue de Jesus lavou, santificou e justificou. Não há razão para ficarmos presos na mesquinharia e no engano da fofoca. Fomos comprados por precioso sangue para, entre outras coisas, uma comunicação que glorifica ao Senhor (2 Coríntios 5.15). Saia dessa vida de fofoqueiro e inunde suas palavras com a mensagem transformadora do Evangelho.


Editorial do Pr.Alexandre "Sacha" Mendes



© 2018 Igreja Batista Maranata. Todos os direitos reservados.