Atributos de Deus: Deus é Onisciente

Nos últimos séculos, o mundo experimentou uma crescente valorização da ciência. Diversos avanços científicos transformaram a maneira como nos relacionamos com a natureza e como a entendemos. Além disso, a ciência se tornou para alguns a resposta para tudo e, em alguns casos, uma crença — por mais paradoxal que isso pareça ser — já que teorias nem sempre passíveis de comprovação são tomadas como verdades absolutas por seus seguidores. O fato é que, o homem continua, ao longo de sua existência, tentando substituir a Deus como a fonte da verdade e do conhecimento.


Isso se dá muitas vezes pela incredulidade de que Deus é Criador de todas as coisas e, portanto, o maior conhecedor de tudo que foi criado. O homem se apega à ciência, mas não à onisciência de Deus e isso é fruto de um coração orgulhoso que não está disposto a admitir que os pensamentos do Senhor são mais altos do que os seus (Isaías 55.8, 9). A onisciência de Deus é mais uma expressão desse fato, sendo um atributo que simplesmente significa possuir o conhecimento e o entendimento de absolutamente tudo.


Conhecimento sobre Si mesmo


“Quem, pois, conheceu a mente do Senhor? Ou quem foi o seu conselheiro?

Ou quem primeiro deu a ele para que lhe venha a ser restituído?

Porque dele, e por meio dele, e para ele são todas as coisas.

A ele, pois, a glória eternamente. Amém!”

(Romanos 11.34–36)


O conhecimento de Deus é completo, exaustivo, não há como acrescentar qualquer coisa a Ele. Ninguém pode ensinar nada ao Senhor, nem Lhe dar qualquer conselho. Por isso, é impossível conhecer a Deus de forma plena, entendendo a totalidade de Sua mente e esquadrinhando Seu entendimento (Isaías 40.28). Ainda assim, quando Paulo contempla a inescrutabilidade do Senhor, sua resposta é adoração, porque o verdadeiro conhecimento de Deus sempre nos levará à adoração.


Conhecimento sobre cada criatura


“E não há criatura que não seja manifesta na sua presença;

pelo contrário, todas as coisas estão descobertas e patentes aos olhos daquele a quem temos de prestar contas.”

(Hebreus 4.13)


Por ser o Criador de todas as coisas, Deus conhece tudo e todos. Em Jó 38 e 39, isso fica claro quando o Senhor faz uma série de perguntas para Jó, as quais somente Ele possuía as respostas. Nestes capítulos, alguns exemplos dos conhecimentos que Deus menciona são: geografia (38.5), geologia (38.6), oceanografia (38.16), meteorologia (38.22), anemologia (38.24), botânica (38.27), física (38.30), astronomia (38.33) e biologia (capítulo 39). Ele é o Senhor de toda a ciência, conhecendo muito mais acerca do universo do que qualquer ser criado possa imaginar.


Conhecimento sobre cada um de nós


No Salmo 139, vemos que Deus conhece nossos pensamentos (v. 2), nossos caminhos (v. 3), nossas palavras (v. 4), nosso interior (v. 13), nossos dias (v. 16) e nosso coração (v. 23). Todo o conhecimento acerca de nós pertence ao Senhor, ou seja, Ele nos conhece de uma maneira muito mais completa do que nós mesmos nos conhecemos. Nosso passado (v. 13), nosso presente (v. 2) e nosso futuro (v. 16) são patentes para Deus, nada Lhe é encoberto. Em face de tamanho conhecimento, o salmista exclama:


“Que preciosos para mim, ó Deus, são os teus pensamentos!

E como é grande a soma deles!”

(Salmo 139.17)


A onisciência de Deus nos traz conforto, pois nela temos a garantia de que os Seus planos são perfeitos e consideram todo e qualquer aspecto que eles tocam. Além disso, o conhecimento do Senhor acerca de nós mesmos nos humilha e nos coloca em total dependência dEle para sermos guiados por Ele pelo caminho eterno:


“Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração,

prova-me e conhece os meus pensamentos;

vê se há em mim algum caminho mau e guia-me pelo caminho eterno.”

(Salmo 139.23, 24)


Ele conhece cada detalhe de nossos pensamentos e coração, mais até do que nós mesmos. Por isso, podemos confiar nEle de todo o nosso coração e não em nosso próprio entendimento, não sendo sábios aos nossos próprios olhos, mas temendo ao Deus que sabe todas as coisas (Provérbios 3.5–7)!


Editorial de André Negrão Costa