Atributos de Deus: Deus é Sábio

A sabedoria consiste no adequado uso do conhecimento para agir de forma adequada em qualquer situação. A Bíblia define que Deus é sábio (Jó 12.12, 13) e que Ele é a fonte de toda a sabedoria (Tiago1.5) de forma que a nossa referência deve, portanto, sempre se voltar a Ele. No entanto, diante do cenário de relativismo moral atual, o conceito de sabedoria se perde em ideias humanistas vagas e emocionais que nada têm a ver com a verdade das Escrituras. Seguindo o rumo natural, a humanidade longe de Deus se apoia cada vez mais em sua própria sabedoria e afunda na desesperança do seu resultado, alheia ao fato de que até mesmo a “loucura de Deus é mais sábia que a sabedoria humana” (1 Coríntios 1.25), e que “o coração humano é mais enganoso que qualquer coisa” (Jeremias 17.9).


O preocupante, porém, é que essa realidade também tem entrado na igreja e afetado a vitalidade dos cristãos. Pessoas que depositaram sua confiança em Cristo têm deixado se confundir pelos princípios errados do mundo e acabam guiando a sua existência para longe da vida abundante que Deus prometeu (João 10.10). Meditar com profundidade na sabedoria de Deus é uma forma de fugir dessa cilada e aprofundar o nosso relacionamento com Ele, dando o próximo passo em direção a Cristo para podermos saber como agir nas diferentes situações do nosso cotidiano, ou seja, termos sabedoria. Para isso, vamos refletir em algumas faces da sabedoria de Deus e a nossa resposta adequada a cada uma delas.


1. A humildade diante da sabedoria revelada no Evangelho


Ao terminar de pregar o Evangelho em Romanos 1–11, Paulo conclui exclamando: “Ó profundidade da riqueza da sabedoria e do conhecimento de Deus!” (Romanos 11.33). O Evangelho revela em si mesmo a sabedoria de Deus. O Evangelho não é um plano de origem humana para se reconciliar com Deus, e sim, um plano de origem divina para resgate do pecador. A essência do Evangelho nos mostra que nós não somos sábios, mas Deus é. Nossa resposta inicial, portanto, é a de humildade em reconhecer nossa incapacidade de ter sabedoria em nós mesmos e nos refugiar na Sua sabedoria. Reconhecer-se humilde de espírito é o primeiro passo para fazer parte do reino de Deus (Mateus 5.3).


2. A adoração diante da sabedoria revelada na criação


“Por sua sabedoria o Senhor lançou os alicerces da terra, por seu entendimento fixou no lugar os céus” (Provérbios 3.19). Cada parte da criação demonstra de forma assombrosa o conhecimento de Deus. O modo como tudo funciona, como cada organismo desempenha seu papel, como cada processo na natureza ocorre, como cada elemento é posicionado, demonstra-nos que existe alguém sábio por trás da criação. No entanto, Romanos 1.18–32 nos mostra que o caminho natural do homem é recusar a sabedoria de Deus e seguir o seu próprio caminho, adorando a criação ao invés do Criador. Essa é a realidade que vemos até os dias de hoje. Nesse contexto, a resposta correta do cristão deve ser o oposto: a correta e exclusiva adoração a Deus. Olhar para a criação, portanto, deve nos levar a reconhecer a sabedoria de Deus por meio da nossa vida de adoração.


3. A submissão diante da sabedoria revelada nas Escrituras


“O testemunho do Senhor é fiel e dá sabedoria aos símplices” (Salmo 19.7). A revelação escrita é certamente uma revelação explícita da sabedoria de Deus. Além do Evangelho em si, já mencionado no primeiro ponto, a Bíblia nos mostra uma série de ordenanças e orientações para um viver perfeito (2 Timóteo 3.16, 17). As respostas que o ser humano precisa para seus problemas se encontram na sabedoria de Deus revelada. No entanto, as soluções da Bíblia sempre envolvem o abandono de um viver para si mesmo para fazer a vontade de Deus. Dessa forma, é natural que o homem longe de Deus não queira as soluções bíblicas e busque soluções na sabedoria secular. Infelizmente, esse tem sido também o caminho de muitos cristãos. Nossa resposta, porém, deve ser confiar que a Bíblia tem as respostas de sabedoria, e que qualquer ser humano que não baseie seu pensamento nas Escrituras não chegará a uma resposta sábia.


4. A gratidão diante da sabedoria revelada no governo da história


“O Senhor reina! [...] O teu trono está firme desde a antiguidade” (Salmo 93.1, 2). Não há nada no mundo que não esteja debaixo do governo sábio de Deus. Quando lemos a parte da história que está contida na Bíblia, vemos claramente a sabedoria de Deus revelada por meio de cada momento, seja ele alegre ou triste. Vemos, assim, o Espírito de Deus revelando ao homem como Deus age com sabedoria, e isso tudo serve de exemplo para nós hoje (1 Coríntios 10.11). Mesmo não tendo uma revelação pessoal e específica de como cada evento nas nossas vidas está relacionado à vontade de Deus, temos certeza de que o Deus que agiu no passado é o mesmo que age no presente. No entanto, temos a tendência de duvidar de Deus quando a situação não é favorável. Nossa resposta, porém, deve ser de confiarmos na sabedoria de Deus e sermos gratos pelo que Ele faz, sabendo que todas as coisas cooperam para o bem dos que amam a Deus (Romanos 8.28).


Certamente, Deus é sábio e isso deve impactar as nossas vidas de forma prática. Não nos contentemos em dizer levianamente que “Deus sabe de todas as coisas”, mas nos esforcemos para realmente entender a profundidade da verdade contida nessa frase. Meditemos e apliquemos cada um desses aspectos para darmos o próximo passo em direção a Cristo.


Editorial de Tássio Cortês Cavalcante