Estudos no livro de Rute

O Gustavo, em meio ao isolamento social que temos vivido, lecionou no livro de Rute para um grupo de irmãos da igreja. O curso foi um experimento virtual que rendeu boas conversas, conhecimento bíblico e edificação mútua. Alguns aceitaram o desafio de relatar de forma escrita seu aprendizado. Segue o testemunho de alguns irmãos e não perca as novas oportunidades para aprender mais da Palavra de Deus.


______ o ______


Rute: romance ou redenção?

Desde pequena escuto e leio a história de Rute. Sou de uma geração na qual príncipes e princesas faziam parte da infância — a conhecida geração Disney. Sempre fiquei encantada com a história de amor entre Rute e Boaz. Para mim, Boaz era o príncipe encantado da Bíblia, e Rute a pobre gata borralheira resgatada. Qual menina da minha geração não iria querer viver um amor desses?


Mas será que o livro de Rute está na Bíblia somente para nos contar uma história de amor e nos inspirar a ter um relacionamento como o deles?


Recentemente, tive a oportunidade de estudar o livro de Rute com os irmãos da igreja e meus olhos foram abertos para uma linda verdade, mais bela do que um conto de fadas da vida real.


A verdade por trás do romance

A história do livro de Rute se inicia em meio a dias muito difíceis — fome, medo, incerteza, insegurança. Talvez não muito distante dos dias nos quais temos vivido — medo de uma doença desconhecida, incertezas quanto aos dias que virão, completa insegurança no sistema.


Elimeleque e Noemi, em meio ao caos da fome, decidem abandonar suas raízes para buscar refúgio em Moabe. Ao invés de buscar auxílio em Deus e no seu povo, seguiram seu entendimento e abandonaram sua fé. Seus filhos se casaram com moabitas, esquecendo-se dos ensinamentos do Senhor.


Deus, no perfeito orquestrar de suas vidas, permite que Noemi se torne viúva e perca seus filhos, sentindo-se vazia: “...Não me chamem de Noemi, mas de Mara, porque o Todo-Poderoso me deu muita amargura. Quando saí daqui, eu era plena, mas o Senhor me fez voltar vazia” (Rute 1.20, 21a).


Noemi, engolida pelas circunstâncias da vida, se torna amargurada, e sua visão a respeito de quem Deus é se torna deturpada: “A minha amargura é maior do que a de vocês, porque o Senhor descarregou a sua mão contra mim. [...] Por que, então, querem me chamar de Noemi, se o Senhor deu testemunho contra mim e o Todo-Poderoso me afligiu?” (Rute 1.13, 21).


A história continua e Noemi e Rute retornam a Belém. É lindo ver como Deus orquestrou os acontecimentos para transformar o coração amargurado de Noemi e restaurar a linhagem do Messias. Rute, a moabita, mostra um amor sacrificial ao seguir Noemi e ser obediente a cada instrução de sua sogra. Boaz, o resgatador, sabendo de seu papel e agindo em submissão a lei e com temor ao Senhor, casa-se com Rute e restaura a sorte de Noemi.


E é aqui que o romance dá lugar à redenção.


Redenção por trás do romance

O livro de Rute é, sim, uma linda história de amor — mas de um amor mais belo do que eu enxergava na minha infância. O livro nos mostra o amor de Deus por Seu povo, a ponto de nos enviar seu Filho, o resgatador perfeito, para nos redimir e restaurar.


Quantas vezes, como Noemi, determinamos quem Deus é por meio de nossas circunstâncias? Quando definimos quem Deus é por meio do que vivemos, criamos um Deus irreal e nos tornamos amargurados como Noemi. Nos perdemos em meio às mentiras criadas por nós mesmos e deixamos de enxergar aspectos da graça de Deus em nossa vida. Somos tomados por falsas esperanças e tendemos a depositar nossa confiança em tudo, menos em Deus, como moabitas distantes do Pai.


Mas existe HESED que nos redime. Uma palavra pequena, mas que significa tanto — amor leal, graça, misericórdia e bondade. O livro de Rute nos mostra a infinita HESED de Deus para com um povo infiel e muitas vezes amargurado, mas que, quando resgatado pelo Senhor, é capaz de agir com HESED para com os outros. Podemos ver como Rute se submete sacrificialmente à Noemi diversas vezes ao longo da história. Jesus demonstrou amor sacrificial a nós, morrendo em nosso lugar e cravando nossos pecados no madeiro (Colossenses 2.13). Ele olhou para nós e derramou HESED sobre os nossos delitos.


Quando olhamos para Boaz podemos ver Cristo, o resgatador perfeito (1 Timóteo 2.6). Como moabitas, um dia estivemos entregues aos nossos desejos. Cristo, por meio de Sua vida, morte e ressurreição, nos redime, nos faz Seus filhos, restaura nosso vigor e nos faz cheios — não mais vazios e amargurados (João 10.10).


Agora, com a visão correta, posso dizer: que linda história de amor! Que esperança saber que temos um Resgatador que está acima de nossos dias incertos. Precisamos ver nossas circunstâncias à luz de quem Deus é, nos revestir da verdade, nos despojar de toda amargura (Efésios 4.21, 22; 31, 32) e depositar nossa confiança no verdadeiro El Shaddai. Ele é o Deus Todo-Poderoso, que orquestra cada acontecimento para restauração e redenção do Seu povo. Não importa a circunstância, Ele é Yahweh — o Deus que é fiel ao Seu povo, e que cuida de nós.


Texto escrito por Miriam Marques


______ o ______


Lições aprendidas no livro de Rute


Deus sempre cumprirá Seus planos na vida do Seu povo. Ele usa as circunstâncias para a nossa santificação e para resgatar os que pertencem a Ele.

Deus transformou o coração de Noemi. De uma mulher amargurada e vazia, vemos ela se tornando uma mulher renovada e consolada. Além disso, vemos o Senhor preservando a vida de Rute, pois ela era escolhida dEle.


Deus é fiel, Ele não desiste do Seu povo mesmo diante da nossa infidelidade.

Mesmo com toda a amargura de Noemi, Deus continuou demonstrando Sua fidelidade e misericórdia a ela — Ele não a abandonou. O Senhor colocou amor no coração de Rute por sua sogra, para que Rute cuidasse dela, demonstrando o amor e o cuidado de Deus para com Noemi. O Senhor demonstrou mais uma vez o Seu cuidado e Sua fidelidade com Rute e Noemi através da vida de Boaz.


Devemos aproveitar as oportunidades para servir e amar as pessoas.

Rute serviu e amou sua sogra Noemi mesmo diante de toda situação difícil que elas passaram.


Devemos, a cada dia, voltar nossos olhos para o Senhor, meditando em Suas promessas e orando para não sermos sufocados pelas circunstâncias da vida. Dessa forma, responderemos às situações difíceis de uma maneira que glorifique ao Senhor, sendo e fazendo discípulos de Jesus.

Noemi, pensando em seus problemas, foi governada pelas circunstâncias e se esqueceu de quem Deus é e das promessas do Senhor, esqueceu da Sua fidelidade e demonstrou falta de confiança em Deus. Noemi não se preocupou em ministrar na vida das suas noras. As circunstâncias sufocaram Noemi e ela se esqueceu de falar de Deus e das promessas do Senhor para o Seu povo. Ela só foi capaz de cuidar de Rute novamente quando voltou a enxergar o agir do Senhor em meio às dificuldades.


Texto escrito por Sérgio e Fabiana Farias


© 2018 Igreja Batista Maranata. Todos os direitos reservados.