"Fomos visitados pela igreja, parte da Igreja de Cristo veio nos ver”

Atualizado: 12 de Set de 2018

"Porém Deus, que conforta os abatidos, nos consolou com a chegada de Tito"

(2 Coríntios 7.6)


A todos os membros da Igreja Batista Maranata em São José dos Campos. É com muita alegria e gratidão no coração que escrevo a vocês. A frase a cima, foi falada por mim, logo que o barco Seara desatracou do porto da comunidade Nova Filadélfia, onde eu e minha esposa Débora e mais o casal Renan e Jahvona formamos uma equipe missionária, cuidando de igrejas e plantando novas nas calhas do Rio Urariá, Arari e Paracuni.


Deixe-me explicar o porquê dessa frase ser tão significante para nós. Eu e Débora já estamos no Amazonas há 5 anos, morando em um lugar sem luz elétrica, sinal de telefone e muito menos de internet. Por isso, uma vez por mês, vamos à cidade fazer compras e ter contato com o “mundo exterior”. É quando vamos a um lugar para nos “encontrar” com parte da igreja, falar com amigos, família, pastores, conselheiros e mantenedores. Enfim, falar e ser ouvido. Mas os dias 25 e 26 de fevereiro de 2018, foram diferentes, não foi preciso ir, a igreja veio. Veio ver o ministério que está sendo desenvolvido aqui, veio fazer o ministério em parceria aqui, veio amar junto a nós o povo ribeirinho, veio anunciar junto a nós o Evangelho a crianças e adolescentes ribeirinhos carentes da graça e misericórdia de Deus.


A igreja veio servir junto conosco e também a nós. Veio amar os missionários, presentear com ótimos livros, mensagens em áudio (excelentes diga-se de passagem), presentes carinhosos. Mas afirmo com toda certeza, o melhor presente foram as vidas que vieram, o exemplo de dedicação, as perguntas sobre como nós estamos, os gestos de carinho e atenção, (Ex: ficar até tarde fazendo tratamento dentário). Fomos amados de diversas formas, principalmente quando em uma roda de conversa, tivemos o privilégio de compartilhar nossos desafios do campo, pecados, lutas internas, sonhos, alvos e motivos de gratidão, para juntos como igreja sermos encorajados pela Palavra, e no final orar, colocando tudo aos Pés de Jesus, “lançando sobre ele toda a nossa ansiedade, pois Ele tem cuidado de nós”, falamos e fomos ouvidos, as vezes um “ouvido” é o que o missionário precisa.


“Cuidado”, essa é a palavra que define bem o que aconteceu nesses dias. Fomos cuidados pelo nosso Deus que consola os abatidos. Cuidados e amados pela igreja, pois a igreja veio, a Batista Maranata veio. Esse é o efeito da visita de uma igreja a um campo missionário, ofertas devem chegar, orações devem continuar sendo feitas, mas quando a igreja vem, é uma outra forma de Deus nos dizer, Eu estou com vocês. Missionários são extremamente relacionais, e uma benção experimentada pela igreja são os relacionamentos, e quando isso chega ao campo por meio da igreja, é abençoador, tanto para o missionário, quanto para o ministério que está sendo desenvolvido.


Quando a igreja vem, missionários são edificados, creio que a igreja que vem é edificada, e o que é mais importante, Deus é glorificado por meio desses relacionamentos de amor. Não que estejamos com o “tanque vazio”, carentes de amor, para que tenhamos nossos “egos” inflados e sejamos reconhecidos como coitadinhos que largaram tudo na cidade grande para desbravarem as matas e, como autênticos “missionários Tarzan”, necessitamos de toda atenção do mundo, nos considerando mais especiais do que aqueles que servem o Reino com a sua profissão, sendo vendedor de uma loja por exemplo, não somos especiais nem especialistas no que fazemos.


A grande lição que marca o nosso coração é exatamente o contrário, nós não somos “suficientes” para fazer o que fazemos, vivemos dias bons e ruins, mas cremos que a nossa suficiência vem de Cristo, nossa total dependência de Jesus fica evidente todos os dias no campo, e sabemos que essa dependência é suprida por graça, misericórdia e amor. Mesmo nós não merecendo, Deus tem derramado todos os dias, chuvas de bênçãos sobre nós, essas bênçãos se tornam palpáveis para nós por meio de vidas, por meio da igreja, e assim todos os dias somos relembrados que é tão somente pela graça que estamos aqui. E qualquer fruto que estamos colhendo, e estamos, não vem por nossa capacidade, mas sim pelo fato de que Deus está executando seu plano de Redenção na história.


Portanto queridos irmãos, não tenho dúvida do amor que a Igreja Batista Maranata tem por missões, pois suas ações demonstram isso. Acredito que vocês devem conhecer outros campos missionários, encorajo a continuarem orando, investindo e, na medida do possível, continuem indo. Creio que assim como nós, outros missionários ainda precisam louvar e glorificar a Deus, através da gratidão por também terem sido visitados e amados. Vocês sempre serão bem-vindos em nosso meio. Obrigado Igreja Batista Maranata.


No amor de Cristo,


Pr. Jairo e Débora Minowa, servindo a Jesus servindo pessoas.


Soli Deo Gloria



(Carta e editorial do Pr.Jairo e, sua esposa, Débora à Igreja Batista Maranata, que visitou o trabalho do casal na Amazônia.)

© 2018 Igreja Batista Maranata. Todos os direitos reservados.