Buscar

Marido raiz

Estereótipos são criados na mesma velocidade que são substituídos. Nos últimos anos, testemunhamos uma transição brusca de estereótipos sexuais. As figuras do “machão” e da “princesa” foram substituídas por uma identidade sexual mais fluida, criando uma forma confusa de enxergar a sexualidade, desvinculada do elemento biológico natural e dado por Deus – “homem e mulher os criou” (Gênesis 1.27). Acompanhando a confusão sexual, a “infantilização” dos jovens criou uma epidemia de crianças encarnadas em corpos de adultos. O impacto nos relacionamentos de casamento é visível dentro e fora das igrejas. Maridos não sabem ser homens, esposas rejeitam o papel de mulheres.


É necessário algo melhor que estereótipos para resolver essa crise de identidade de proporções sociais e espirituais. O Evangelho reverte os efeitos da queda, direcionando homens e mulheres para algo maior que o próprio casamento. Casamento aponta para uma realidade espiritual maior, o relacionamento de Cristo e a Igreja (Efésios 5.32, 33). E o propósito do casamento determina o papel do marido dentro desse sublime relacionamento. Não queremos maridos formados pelos estereótipos, mas por causa de Cristo. Não por causa de ideologias, mas por causa do Evangelho. Não por causa da cultura, mas por causa da Criação. Só assim, teremos “maridos raiz”. O “marido raiz”, bíblico e fiel é marcado por:


  • CONHECER sua esposa

“Do mesmo modo vocês, maridos, sejam sábios no convívio com suas mulheres e tratem-nas com honra, como parte mais frágil e co-herdeiras do dom da graça da vida,

de forma que não sejam interrompidas as suas orações” (ênfase pessoal).

(1 Pedro 3.7)


Ter sabedoria no convívio com a esposa é uma ordem para entendê-la em todos os aspectos de sua vida. Nada mais é que um desdobramento do conceito de “uma só carne” já estabelecido em Gênesis 2.24 e enfatizado por Paulo em Efésios 5.31. Em outras palavras, crescer em sabedoria no convívio com a esposa cumpre parcialmente o propósito do relacionamento de uma só carne.


Embora a sociedade e a cultura enfatizem que é impossível entender uma mulher, Deus ordena que o marido compreenda sua mulher e aprenda a viver com ela de forma honrosa. Por isso, a primeira característica do “marido raiz” no casamento é de estudar sua esposa. Esse é um “curso” que começa no momento do “sim” até que a morte os separe.


Negar obediência a esse mandamento irá afetar as orações do marido, o que não é estranho às Escrituras e já anteriormente ensinado em Salmo 66.18, “Se eu acalentasse o pecado no coração, o Senhor não me ouviria.”


  • AMAR sua esposa

Esse ponto está relacionado com a habilidade do marido em crescer em amor à esposa, debaixo do reconhecimento que o amor é um mandamento modelado pela pessoa de Cristo.


“Maridos, ame cada um a sua mulher, assim como Cristo amou a igreja e entregou-se por ela, para santificá-la, tendo-a purificado pelo lavar da água mediante a palavra,

e para apresentá-la a si mesmo como igreja gloriosa, sem mancha nem ruga ou coisa semelhante, mas santa e inculpável. Da mesma forma, os maridos devem amar cada um a sua mulher como a seu próprio corpo. Quem ama a sua mulher, ama a si mesmo. Além do mais, ninguém jamais odiou o seu próprio corpo, antes o alimenta e dele cuida,

como também Cristo faz com a igreja, pois somos membros do seu corpo.

Por essa razão, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher,

e os dois se tornarão uma só carne.”

(Efésios 5.25-30)


Portanto, de acordo com Efésios 5.25-30, os maridos devem amar suas respectivas esposas. Devem amá-las de acordo com o amor bíblico:


  • Amor sacrificial (versículo 25). Jesus Cristo é o modelo do amor do marido à esposa. Como Jesus Cristo se sacrificou pela igreja, os maridos devem amar suas respectivas esposas com a mesma intensidade e profundidade.

  • Amor purificador (versículos 26 e 27). Quais são algumas das ameaças à santidade que o marido deve proteger sua esposa para que ela se apresente com honras diante do julgamento de Cristo? Quais são algumas das coisas que o marido pode fazer para ajudar sua esposa a permanecer pura nesse mundo?

  • Amor que cuida (versículos 28 a 30). Quais são algumas maneiras práticas que um marido pode amar cuidando de sua esposa?

  • Amor inquebrável (versículo 31). O versículo 31 é uma citação direta de Gênesis 2.24. Deus projetou o casamento para durar para sempre. Nesse versículo Paulo enfatiza a unidade do casamento. Como o marido pode se guardar de violar esse princípio de amor?


  • LIDERAR sua esposa

“pois o marido é o cabeça da mulher, como também Cristo é o cabeça da igreja,

que é o seu corpo, do qual ele é o Salvador.”

(Efésios 5.23)


Mais uma vez, Jesus Cristo é o exemplo para o marido. Nesse versículo, Jesus é o exemplo no que se refere à liderança do casamento. Liderança não é sinônimo de ditadura, mas de autoridade manifesta através de serviço humilde. Uma liderança que agrada ao Senhor é caracterizada por serviço humilde modelado a partir do exemplo de Cristo Jesus (Marcos 10.45). Um esposo imaturo não irá liderar dessa forma, mas irá usar a autoridade para exercer domínio. O “marido raiz” entende que a autoridade é dada para edificar aqueles que estão debaixo de sua liderança (2 Coríntios 13.10).


Em meio à confusão sobre gêneros e papéis, homens salvos por Jesus Cristo são chamados a viver uma masculinidade sólida. Uma masculinidade definida pelo Criador de todos os homens, que pagou o preço máximo pelos pecados e nos atribuiu o papel de mostrar Cristo Jesus nos casamentos. Assim, o Senhor Jesus é glorificado. Seja um “marido raiz”.


Editorial do Pr. Alexandre "Sacha" Mendes




© 2018 Igreja Batista Maranata. Todos os direitos reservados.