Mateus: Jesus é Rei

Atualizado: Jun 12

Recentemente, encerramos uma série de mensagens baseadas em passagens selecionadas do Evangelho de Mateus. Durante cinco meses, estudamos os cinco principais discursos de Jesus e algumas passagens que serviam como ponte entre esses discursos registrados por Mateus. De uma forma geral, a ideia da série de mensagens nasceu do desejo de revermos a missão da Igreja Batista Maranata num ano que estamos intencionalmente buscando entender as diversas implicações de “sermos e fazermos discípulos”.


A missão da Igreja Batista Maranata é “alcançar pessoas com as boas novas do Evangelho, tornando-as verdadeiros e frutíferos discípulos de Jesus Cristo”[1]. Nossa missão não poderia estar distante das últimas palavras de Jesus registradas por Mateus: “Jesus, aproximando-se, falou-lhes, dizendo: Toda a autoridade me foi dada no céu e na terra. Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século” (Mateus 28.18-20 – ênfase do autor).


Ser e fazer discípulos descreve nossa missão num aprendizado de uma vida em obediência. Esse aprendizado não pode ficar apenas conosco, mas deve ser transmitido para as próximas gerações. Essa é a tarefa de sermos e fazermos discípulos. E é justamente aqui que entram os discursos de Mateus. O evangelista, movido pelo Espírito Santo, registrou cinco grandes discursos de Jesus que resumem não só o que deve caracterizar o discípulo, mas o que deve ser ensinado para a próxima geração de discípulos. Ou seja, Mateus registrou para nós um currículo de discipulado. Não é um currículo exaustivo para tratar todo e qualquer detalhe do discipulado, mas é um currículo que traça os principais temas na vida e missão do discípulo. Confira:


1) O caráter e a justiça do discípulo (Mateus 5.1-7.29): A vida do discípulo no Reino depende de uma verdadeira justiça interna. Essa justiça interna se evidencia num comportamento obediente à Palavra do Rei do Reino. Ser um discípulo começa com a transformação que o Rei do Reino opera no coração, capacitando-o a obedecer e crescer progressivamente na demonstração de um caráter transformado. É aqui que tudo começa para o discípulo. E é a partir daqui que o discipulado começa.


2) Ser discípulo envolve uma missão sacrificial (Mateus 10.5-11.1): Além de toda a teologia envolvida no progresso da revelação do plano do Rei para com Seu Reino, o segundo discurso de Jesus carrega dois conceitos importantes que todo discípulo precisa saber e ensinar: missão e sofrimento. Ser um discípulo envolve o engajamento numa missão. E o desempenho dessa missão envolve sofrimento. Ser um discípulo exige compromisso sacrificial.


3) Características do Reino (Mateus 13.1-53): Como é o Reino? Essa pergunta é suficientemente respondida em Mateus 13. Uma pequena série de oito parábolas descreve o crescimento do Reino, a natureza de seus súditos e seu imenso valor. Um discípulo precisa descansar na justiça do Rei que irá separar os verdadeiros discípulos dos falsos. Em meio a tanta confusão no crescimento exponencial do Reino, somos motivados à lealdade na certeza de que o Justo Rei irá julgar retamente a todos. Nessa confiança, os discípulos perseveram alegremente na busca dos valores do valioso Reino. Discípulos precisam ter seu sistema de valores direcionado pelo valor do Reino.


4) Valores e relacionamentos na comunidade do Reino (Mateus 18.1-19.2): A comunidade de discípulos é marcada pela humildade e pelo perdão. São dois elementos que marcam o início da vida cristã e regulam o convívio cristão. Os humildes de espírito e dependentes como uma criança recebem o perdão de Deus em Cristo. Desprovidos de qualquer confiança em recursos espirituais próprios, os discípulos creem que foram perdoados por Jesus e estendem esse perdão para aqueles que os ofendem. Por definição, um cristão perdoado é um discípulo perdoador.


5) Esperança futura que encoraja a realidade presente do discípulo (Mateus 24.1-25.46): A história ainda não acabou e será consumada com a vitória do Rei. Deus tem um plano de julgamento sobre Jerusalém no contexto da volta de Cristo. Nesse plano divino, o discípulo pode descansar na certeza de que Deus cumpre Suas promessas e que no fim, Jesus vence.


Esses são apenas alguns pontos dos cinco grandes discursos de Jesus registrados por Mateus. Cada um dos discursos contribui para a compreensão da natureza do discípulo, seu caráter e sua missão. São lições que mudam sua vida e das gerações subsequentes de discípulos. Essas coisas foram deixadas para o seu ensino e para sua obediência. Seja um discípulo, faça discípulos.


[1] https://www.ibmaranata.org.br/sobrenos


Editorial do Pr. Alexandre “Sacha” Mendes



© 2018 Igreja Batista Maranata. Todos os direitos reservados.