Ocupados demais para descansar

Atualizado: 21 de Set de 2018

Nossa rotina nos suga. Essa é a realidade de praticamente todos nós, mesmo que em níveis diferentes e em estágios de vida diferentes. O mundo moderno e globalizado em que vivemos contribui para isso. Nunca houve tantas oportunidades e facilidades como temos hoje. As informações estão a um clique de distância, viagens se tornaram acessíveis, a variedade de oportunidades de lazer cresce a cada dia, a quantidade de cursos nas faculdades se multiplica a cada ano, as profissões estão se diversificando cada vez mais.


Porque podemos fazer tanto, nós acabamos mesmo fazendo muita coisa. Porém, os maiores problemas não são os inconvenientes do mundo moderno. O real problema está em nós mesmos. Quando nos ocupamos até o limite, colocamos em risco a nossa alma. Quanto mais corrida é a nossa vida, maior a chance de estarmos irritados, ansiosos e impacientes. E justamente por estarmos muito ocupados, deixamos de perceber os perigos que nos cercam e para onde estamos caminhando.


Somos muito orgulhosos

As coisas não são como deveriam ser porque nós também não somos como deveríamos ser. Essa afirmação nos leva a olhar para o nosso coração, e enxergar o pecado que gera tantos outros que cometemos: o orgulho. Nós nos ocupamos demais porque queremos que as pessoas gostem de nós, porque temos medo da desaprovação, porque tentamos provar que podemos fazer todas as coisas, e por isso dizemos sim para todas as oportunidades que nos aparecem. Nós nos ocupamos demais porque queremos sempre mais, não nos contentamos com as coisas que temos, com o salário que temos, com o emprego que temos, com a casa que temos. Nós nos ocupamos demais porque queremos ser elogiados, nos destacar e impressionar aos outros e até mesmo a Deus. Nós nos ocupamos demais porque não sabemos nos planejar, achando que somos capazes de fazer mais do que de fato conseguimos realizar.


Cristo é o nosso exemplo

A verdade é que nós estamos tentando fazer coisas que Deus não espera de nós, e por isso estamos cansados e sobrecarregados. Muitos de nós temos a tendência de enxergar oportunidades como obrigações, e até mesmo julgamos outras pessoas por não enxergarem da mesma forma que nós. Cristo não fez tudo o que poderia fazer, mas ainda assim fez tudo o que o Pai pediu. Cristo estava sempre ocupado, mas apenas com as coisas que Ele precisava fazer. Ele conhecia as Suas prioridades, entendia a Sua missão, e mantinha o foco nisso.


Cristo é o nosso Salvador

Antes de ser o nosso exemplo, Cristo é o nosso Salvador. Ele é tudo o que precisamos, e, portanto, a nossa prioridade suprema deve ser gastar tempo com Ele, conhecendo-O e desfrutando de um relacionamento cada vez mais profundo com Ele. Buscar a Cristo, aprender dEle, descansar nEle, são demonstrações de confiança na obra de Jesus muito mais do que nas nossas próprias capacidades e no nosso próprio trabalho. É matar o nosso orgulho, assumindo a nossa incapacidade e finitude, e confiar na providência de Deus. É bom estarmos ocupados. Não podemos servir ao próximo sem dar do nosso tempo. Deus nos chama a trabalhar com excelência e a trabalhar bastante. Mas no final das contas, o centro das nossas ações não somos nós mesmos. Servimos a Deus e as pessoas, e não ao nosso próprio orgulho!


Cristo é o nosso descanso

Quando Cristo diz ser o Senhor do sábado, Ele está dizendo que Ele próprio é o sábado, porque Ele próprio é a nossa verdadeira fonte de descanso. Muitos de nós trabalhamos duro demais para tentar provar algo a nós mesmos, para convencer a Deus e aos outros de que somos boas pessoas. Este trabalho nunca terá fim até que descansemos no evangelho. Quando Cristo disse na cruz "está consumado", Ele realmente quis dizer isso. Ele viveu a vida que deveríamos viver, Ele morreu a morte que merecíamos morrer. Se descansarmos na obra consumada de Cristo, podemos saber que Deus está satisfeito conosco, e, então, podemos encontrar satisfação e descanso.


Editorial de Gustavo Henrique



© 2018 Igreja Batista Maranata. Todos os direitos reservados.