Pare de tentar melhorar! (Parte 2)

Atualizado: 27 de Ago de 2018

[O texto “Pare de tentar melhorar! (Parte 1)” apresenta as duas primeiras razões que revelam a insuficiência da mentalidade de melhoria pessoal em detrimento da mudança operada pelo Evangelho – se você não leu, confira.]


3. Porque é resultado de mero esforço humano

“Tentar melhorar” é uma mentalidade baseada no esforço humano de obedecer a Deus. É muito comum a noção de que a Palavra de Deus seja um conjunto de regras sobre o que devemos ou não fazer para alcançarmos a Deus e desfrutarmos de comunhão com Ele. Sem sombra de dúvidas, a Bíblia contém mandamentos, mas essa não é a sua mensagem principal. A Bíblia não é um livro de regras para alcançar alguma benção especial, mas é a revelação especial de Deus. A Bíblia narra o plano maravilhoso de salvação em Cristo Jesus e seus desdobramentos para o povo de Deus, mostrando Sua glória. Uma visão de vida cristã baseada na mera tentativa de cumprir regras é insuficiente:


“Vocês morreram com Cristo, e ele os libertou dos princípios espirituais deste mundo. Então, por que continuar a seguir as regras deste mundo, que dizem: ´Não mexa! Não prove! Não toque!´? Essas regras não passam de ensinamentos humanos sobre coisas que se deterioram com o uso. Podem até parecer sábias, pois exigem devoção, abnegação e rigorosa disciplina física, mas em nada contribuem para vencer os desejos da natureza pecaminosa.” (Colossenses 2.20-23, NVT)


O texto não nega a importância da obediência, mas a coloca no lugar certo. A obediência não é o meio pelo qual alcançamos a salvação ou a santificação. A obediência é a expressão da salvação e da santificação dadas por Cristo Jesus a nós:


“Uma vez que vocês ressuscitaram para uma nova vida com Cristo, mantenham os olhos fixos nas realidades do alto, onde Cristo está sentado no lugar de honra, à direita de Deus. [...] Portanto, façam morrer as coisas pecaminosas e terrenas que estão dentro de vocês. [...] Revistam-se da nova natureza e sejam renovados à medida que aprendem a conhecer seu Criador e se tornam semelhantes a ele.” (Colossenses 3.1, 5, 10, NVT)


De forma ainda mais explícita,


“Foi por iniciativa de Deus que vocês estão em Cristo Jesus, que se tornou a sabedoria de Deus em nosso favor, nos declarou justos diante de Deus, nos santificou e nos libertou do pecado.” (1 Coríntios 1.30, NVT)


O progresso da vida cristã envolve esforço humano, mas nunca à parte da obra e pessoa de Jesus Cristo. Portanto, a mudança bíblica é uma expressão de fé na obra de Jesus; a fé vem pelo ouvir a Palavra de Deus (Romanos 10.17); e quem de fato ouve põe em prática (Tiago 1.22). Assim, começamos a entender melhor a profundidade de crer em Jesus (João 6.28, 29). A obediência sempre foi a marca dos que creram e amam a Deus (João 14.23). Isso é bem diferente de “tentar melhorar!”.


Não tente mais, se arrependa!

Diante da realidade do Evangelho de Jesus, somos confrontados e consolados. A mudança bíblica é garantida pela obra de Cristo e não por múltiplas e falhas tentativas humanas. Jesus completou a obra que lhe foi dada (João 17.4; 19.28, 30), garantindo um processo com início, meio e fim (Romanos 8.28-30; Filipenses 1.6). Portanto, o progresso cristão não é resultado de múltiplas tentativas humanas, mas do sacrifício perfeito de Jesus em nosso favor. Jesus se fez pecado em nosso lugar, para nos dar Sua justiça (2 Coríntios 5.21). É garantido!


Mas se a mudança não acontece? E se ainda estou estagnado? Creia uma vez mais! E continue crendo. É aqui que entra o arrependimento: reconheça que o Senhor está lhe trazendo à convicção de mudança, olhe para Jesus Cristo, o Autor e Consumador de nossa fé, e cresça na graça de Deus. Por vezes, essa é uma jornada intrigante, mas rica em oportunidades de conhecer mais da graça suficiente de Jesus.


Isso é bem diferente de “tentar melhorar!”.


Editorial do Pr.Alexandre "Sacha" Mendes



© 2018 Igreja Batista Maranata. Todos os direitos reservados.