Pureza

Atualizado: 8 de Nov de 2019

Músicas, seriados, novelas, filmes, comerciais e uma infinidade de meios de comunicação têm sido utilizados cada vez mais para disseminar conteúdos sexualmente agressivos. Consequência disso é o que temos presenciado hoje, crianças se vestindo como se fossem adultos vulgares, proferindo palavras que não condizem com suas idades nem tampouco com a pureza que deveriam apresentar. O próprio Deus utiliza a figura da criança como sinônimo de pureza (Mateus 19.14). Pureza é algo cada vez mais raro em nosso mundo, o ser humano tem-se afundado em seus próprios desejos, desconsiderando totalmente o que Deus nos ensina a respeito da sexualidade (Romanos 1.26).


O que é a pureza?

Pureza pode ser caracterizada como o alinhamento de nossas vontades e desejos com a vontade de Deus. À medida que vamos desfrutando de um relacionamento íntimo com Deus, experimentamos um crescimento diretamente proporcional nessa área. Tudo aquilo que praticamos e/ou pensamos que não esteja alinhado com a vontade perfeita de Deus, é caracterizado como impuro. Deus nos criou para sermos a sua imagem e semelhança (Gênesis 1.27), e Ele é Santo (1 Pedro 1.15, 16). Viver uma vida de pureza é se preparar para a segunda vinda de Jesus. Se estamos aguardando esta vinda para que possamos viver uma vida completamente livre do pecado, significa que estamos crescendo em santidade e sendo moldados à imagem de Cristo, e essa santidade é imprescindível para que vejamos a Deus (Hebreus 12.14; 1 João 3.2, 3).


O Padrão de Cristo para a pureza

“Eu, porém, vos digo, que qualquer que olhar para uma mulher com intenção impura, em seu coração, já cometeu adultério com ela” (Mateus 5.28). Enquanto estamos inseridos em um ambiente totalmente depravado, Cristo nos alerta quanto ao Seu padrão, quebrando barreiras e afirmando que a impureza vai muito além de meras atitudes. Impureza sexual não está ligada apenas ao que fazemos com nosso corpo, mas principalmente àquilo que ocupa nosso pensamento. A raiz de todas as nossas atitudes está em nosso pensamento — ou o que a Bíblia chama de coração — se possuímos um coração enraizado no pecado, longe da vontade de Deus, naturalmente nossas atitudes evidenciarão nosso pecado, do contrário, se procuramos crescer à imagem de Deus e buscamos viver uma vida de retidão, sobrenaturalmente iremos externar atitudes que refletem o caráter de Cristo, exemplificando então, uma vida de pureza.


O padrão de Cristo é alto: “Se um dos teus olhos te faz pecar, arranca-o, e lança-o fora de ti, pois melhor é entrares na vida com um olho só, do que, tendo os dois, seres lançado no fogo do inferno” (Mateus 18.9). Isto não é simplesmente um conselho, é um chamado ao radicalismo! Não há como lutar contra a imoralidade, não há como enfrentá-la, apenas Cristo pode fazer isso. Somos chamados a fugir de toda e qualquer situação de risco. Não há chamado ao combate, há um chamado à fuga. Fuja da mulher adultera (Provérbios 5.8), se teu olho te faz pecar arranque-o fora (Mateus 18.9), nem se nomeie imoralidade sexual entre vós (Efésios 5.3), são apenas alguns exemplos de que imoralidade é algo tratado de maneira muito séria por Deus.


A impureza grita

Muitos acreditam que a impureza sexual é um pecado secreto e silencioso que ninguém irá descobrir. Acreditam que é possível esconder dos pais, cônjuge, amigos, pastores e até mesmo de Deus. Uma pessoa que tem seus pensamentos tomados pela impureza se sente culpada. Ela tem medo de que os outros vejam seu celular ou computador, por exemplo. Quem tem o pecado da impureza enraizado em seu coração, sabe que está errado e sua consciência o cobra, se sentindo envergonhado e com remorso do que faz (Provérbios 28.1). A impureza grita e consome a vida espiritual de uma pessoa, fazendo-a mudar até seus hábitos naturais na tentativa de se parecer mais santo para que ninguém desconfie.


Como alcançar a pureza?

A pureza não é alcançada em nossa própria força. Porém, a pureza veio até nós. A luta do cristão começa com a certeza da vitória conquistada por Jesus na cruz do calvário. Jesus viveu uma vida de pureza que nós não conseguimos viver. Ele foi puro em todos os Seus caminhos e oferece Sua pureza para nós como fruto de Sua graça. Pela fé e em arrependimento, recebemos um novo coração que agora pode ser treinado e educado em pureza (Tito 2.11-14).


Então, somos chamados a manter nossos caminhos puros e livres do pecado, e esta maneira é dada pelo próprio Deus: “Como purificará o jovem o seu caminho? Observando-o conforme a tua palavra” (Salmo 119.9). Não há como expressar uma vida de pureza se não nos debruçarmos incansavelmente diante da Palavra de Deus (Provérbios 2.1-4).


As características de uma pessoa que anda em pureza são descritas em 1 Pedro 5.8. “Sóbrios e vigilantes”. Dois imperativos que nos alertam a uma vida de luta constante contra nosso inimigo, não há tempo para descansar. A Bíblia é muito enfática ao falar sobre a luta contra o pecado, pois nosso inimigo está a nossa volta pronto a nos atacar, ele está há anos “no mercado”, conhece todas as maneiras para nos tentar. Ele é incansável. É proativo, disposto a nos fazer tropeçar, em razão disto, precisamos estar igualmente empenhados em nos revestir com a armadura de Cristo (Efésios 6.11).


A impureza é fruto de um coração ocioso espiritualmente, que não vive uma vida de constante busca ao Senhor. Assim como o leão está à espreita da sua presa ideal, o inimigo também está sondando a vítima ideal para o golpe, aquele cristão que não está saudável, aquele que irá cair em sua primeira investida. E talvez, parte desta luta seja nos abstermos da televisão, internet ou algumas pessoas, a fim de que cresçamos cada vez mais.


Temos perdido líderes cristãos para o pecado da impureza. A impureza consome nossa mente, nosso tempo e nossas energias, nos desviando de nossos papéis propostos por Deus, fazendo-nos fracassar miseravelmente em nossa missão de espelharmos Sua imagem.


Pureza, o caminho para a santificação, que sem a qual, ninguém verá ao Senhor


“Porque esta é a vontade de Deus, a vossa santificação, que vos abstenhais da prostituição; que cada um de vós saiba possuir o próprio corpo em santificação e honra,

não com o desejo de lascívia, como os gentios que não conhecem a Deus;

e que, nesta matéria, ninguém ofenda nem defraude a seu irmão; porque o Senhor,

contra todas estas coisas, é o vingador, porquanto Deus não nos chamou para a impureza,

e sim para a santificação.”

(1 Tessalonicenses 4.3-7)


Sabemos que este processo de santificação é operado pelo próprio Espírito, e glórias a Deus por isso. Nosso papel é clamar a Deus por misericórdia, para que Ele se volte para nós e nos conceda a graça para vivermos uma vida pura, que passa pelas nossas atitudes e vai até o cerne de nossos corações. Precisamos não apenas nos abster das coisas deste mundo e de seus padrões, mas também, revestirmo-nos com os padrões de Deus. Precisamos desenvolver nossa santificação, ela é progressiva, pois se isso não acontecer, jamais veremos ao Senhor (Hebreus 12.14).


Que Deus nos abençoe e nos capacite a estudar este assunto urgente e amplo, para que possamos desfrutar de uma vida de santidade até o dia da volta de Jesus.


Amém!


Editorial de Rafael Ceron de Souza


© 2018 Igreja Batista Maranata. Todos os direitos reservados.