Buscar

Como estudar a Bíblia (Parte 2): Princípios de interpretação

Atualizado: Mar 17

Estamos no meio de uma série de editoriais que buscam responder uma pergunta essencial: “Como estudar a Bíblia” No editorial da semana passada vimos qual deve ser a nossa postura ao interagirmos com a Palavra de Deus. Uma vez que sabemos qual deve ser nossa postura diante das Escrituras, podemos abordar alguns princípios de interpretação bíblica.

Interprete a Bíblia como você interpreta qualquer outro livro

Este é o princípio mais fundamental para interpretar a Bíblia e, ao mesmo tempo, o menos praticado. É impressionante a quantidade de pessoas que usa a Palavra de Deus quase como um tarô gospel. Elas abrem a Bíblia aleatoriamente, apontam um versículo, e aplicam exatamente aquele texto ao problema que estão enfrentando. É claro que a Palavra de Deus foi escrita para a nossa instrução, e é cheia de esperança para aqueles que estão passando por problemas. No entanto, usar a Bíblia desta forma não é correto.

A maneira correta de interpretar a Palavra de Deus é lendo do começo ao fim, como você lê qualquer outro livro. A razão disso é que, como os livros têm começo, meio e fim, a Bíblia é a revelação progressiva de Deus. Esta progressão segue os temas da Criação, Queda, Redenção e Consumação. Ao lermos a Bíblia desta maneira, chegamos à conclusão de que a ênfase da Bíblia é a glória de Deus, vista em relacionamentos restaurados verticalmente (com Deus) e horizontalmente (uns com os outros), por meio de Cristo Jesus.

Interprete a Bíblia prestando atenção ao contexto

Um segundo princípio que flui do primeiro é que devemos prestar muita atenção ao contexto. Outro nome para este princípio é “A Bíblia interpreta a Bíblia”. Basicamente, este princípio afirma que interpretamos cada palavra no seu contexto. Nós partimos de um versículo em questão, depois vamos para o parágrafo, capítulo, livro, e assim sucessivamente, até interpretá-lo à luz de toda a Bíblia.

Isso parece muito trabalho, mas nós fazemos isso o tempo todo. Quer ver um exemplo? Você recebe uma mensagem de seu cônjuge que diz: “Estou no banco aqui no shopping, venha logo!”. Ao ler isso você provavelmente poderia pensar: “Será que ela está sentada num banco no térreo ou no primeiro andar?”. Até que você observa que na continuação da mensagem dela está escrito: “A fila está grande aqui. Assim que pegar o dinheiro te encontro no estacionamento”. Inicialmente você poderia pensar que banco significava assento, porém com a ajuda do contexto compreendeu que banco significava uma instituição financeira.

Entenda e aplique este princípio: Palavras têm significado no seu contexto! Como diz o ditado: “texto fora de contexto é pretexto”.

Interprete a Bíblia buscando a intenção do Autor

A Bíblia é a Palavra de Deus, registrada por autores humanos que foram inspirados por Deus. Portanto, se vamos ouvir a voz de Deus nas Escrituras, devemos ler a Bíblia como qualquer outro livro, isto é, prestando atenção ao seu contexto, a fim de discernir o que o autor humano/divino quer comunicar. Em outras palavras, o significado do texto é o significado que o autor original quis dar ao texto. Se um texto pode significar qualquer coisa, na verdade ele não significa nada. É exatamente aqui que a postura humilde e submissa diante da Bíblia (Parte 1) gera os dividendos para ouvirmos a voz do autor bíblico e não a nossa própria voz ao interpretarmos o texto. O autor humano/divino das Escrituras tem autoridade final na interpretação, e negligenciar esta voz é negligenciar o próprio Deus!

Isso é algo que fazemos de maneira corriqueira na língua falada, mas que nos esquecemos de aplicar quando lemos a Bíblia. Por exemplo: Em um almoço de domingo, sua visita pede para você passar a salada para ela. Mas você entendeu errado e passou o arroz. Imediatamente ela diz: “Você entendeu errado, eu disse salada!” Se você continuar insistindo em passar o arroz enquanto a sua visita pede salada, ela vai ficar extremamente ofendida e possivelmente com raiva. A razão disso é que o autor é desrespeitado quando suas palavras são distorcidas ou interpretadas de qualquer maneira. Gordon Fee, autor de diversos livros sobre interpretação bíblica, diz que um texto não pode significar o que ele nunca significou.

Interprete a Bíblia de maneira esforçada e constante

O Salmo 1 descreve o homem abençoado por Deus. Os versículos 1 e 2 afirmam: “Bem-aventurado o homem que não anda no conselho dos ímpios, não se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. Antes, o seu prazer está na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e de noite.” (ênfase do autor)

O tempo e o esforço são variáveis muito importantes no desenvolvimento de uma interpretação bíblica saudável. Vemos no salmista o exemplo de alguém que se deleita na Palavra ao ponto de usar boa parte do seu dia relembrando as verdades que leu. Este hábito vai exigir muito esforço e tempo, porém os benefícios superam em muito o custo!

Interprete a Bíblia usando as ferramentas cristãs adequadas

a. Usar uma tradução da Bíblia na própria língua em uma versão adequada (pessoas não conseguem entender um versículo caso elas não saibam a língua ou tenham dificuldade com o vocabulário daquela versão);

b. Ouvir os pastores mestres, pois Deus lhes deu o dom de ensino;

c. Ouvir e buscar entendimento ao participar de um grupo pequeno (AGRUPE) ou grupo de estudo bíblico;

d. Ler comentários bíblicos.

Interprete a Bíblia com uma disposição de obedecer

Uma disposição para a obediência também é algo essencial para uma interpretação saudável da Bíblia. O Salmo 119, que é o mais extenso capítulo das Escrituras, tem como tema a própria Palavra de Deus. No versículo 34, o salmista declara: “Dá-me entendimento, e guardarei a tua lei; de todo o coração a cumprirei”. Este versículo conecta uma oração por entendimento com um desejo de obedecer ao que foi entendido. Para outro exemplo, veja Tiago 1.22–25.

Interprete a Bíblia debaixo de oração e iluminação do Espírito Santo

É necessário a iluminação e a capacitação de Deus para que alguém compreenda Suas Palavras de maneira fiel. No mesmo Salmo 119, versículo 18, o salmista ora: “Desvenda os meus olhos, para que eu contemple as maravilhas da tua lei.” Devemos reconhecer em nossas orações que somente o Espírito Santo pode abrir os nossos olhos espirituais para enxergarmos e aprendermos da Palavra.

Esta não é uma lista exaustiva, porém estes princípios irão te ajudar a interpretar a Bíblia de maneira adequada. Acompanhe os próximos editoriais desta série sobre como estudar a Bíblia. Que este conteúdo possa ajudá-lo a continuar crescendo nesta nobre tarefa de interpretar a Bíblia.


Editorial de Leonardo Cordeiro



© 2018 Igreja Batista Maranata. Todos os direitos reservados.