O papel da igreja local em missões (Parte 3) - A responsabilidade do envio

Atualizado: 17 de Set de 2018

Atos 13.1-4 é uma passagem crucial para compreender o papel da igreja local em missões. Ao relatar para nós que Deus estava fazendo através da igreja de Antioquia, encontramos o padrão de missões do Novo Testamento se desenrolando em seu início. Esta passagem fornece o equilíbrio muito delicado e necessário dos aspectos divino e humano do envio de missionários.


Deus é o agente supremo no envio de missionários (Atos 13.2,4).

Esta passagem deixa claro que o Espírito de Deus é o agente definitivo em chamar missionários. É o Espírito que torna claro que Saulo e Barnabé devem ser separados para o trabalho de missões (versículo 2). Sua partida para o trabalho é descrita como "enviados pelo Espírito Santo" (versículo 4). É por isso que devemos orar ao Senhor da seara que envie trabalhadores para a sua colheita! Esta passagem ilustra o princípio de que Deus está enviando trabalhadores para a colheita. Deus trabalha na vida de um crente para fornecer ambas as ambições piedosas e as habilidades necessárias para realizá-las.


A Igreja local é o agente mediador no envio de missionários (Atos 13.3)

Não podemos ignorar o fato de que essa passagem também diz que Saulo e Barnabé foram separados pela igreja em Antioquia com jejum, oração e imposição de mãos. E quando eles partiram em sua primeira viagem missionária, o texto diz que "eles (a igreja em Antioquia) os enviou". Deus é certamente o agente definitivo no processo de envio, mas Ele trabalha através da igreja local. Neste sentido, a igreja serve como um agente mediador no processo de envio. Em outras palavras, é a igreja que confirma a chamada de Deus e consagra missionários para a sua tarefa. Isto está completamente de acordo com a centralidade da Igreja local, na tarefa de missões. Missões brotam da Igreja local e pretendem plantar igrejas locais porque a igreja local é a peça central da obra de Deus (I Timóteo 3.15). Este versículo também honra o ensino bíblico muito importante sobre a autonomia da igreja local. Portanto, devemos ver juntas de missões como cooperadores que servem a igreja local. Juntas de missões não podem substituir o trabalho da igreja local na tarefa de nomeação e envio de missionários.


A Igreja local é responsável pela supervisão dos missionários

Atos 14.26-28 revela que o padrão apostólico era para os missionários informarem aqueles que lhes tinham recomendado à graça de Deus para a obra. Quando chegaram e reuniram a igreja, eles começaram a relatar todas as coisas que Deus tinha feito e como Ele tinha aberto a porta da fé aos gentios. E eles passaram um longo tempo com os discípulos. Uma vez que eles tinham sido separados pela igreja em Antioquia, foi para a igreja que eles deram o seu relatório e prestação de contas do que Deus havia feito através deles. A primazia da igreja local como a coluna e apoio da verdade, significa que ela carrega o fardo de servir e perpetuar o cristianismo bíblico (I Timóteo 3.15).


Portanto, devemos lembrar que a igreja local tem a primeira responsabilidade de auxiliar o missionário e a responsabilidade pelas ações e ministério do seu missionário.


Editorial do Pr.Fábio



© 2018 Igreja Batista Maranata. Todos os direitos reservados.