João: Jesus, o Filho de Deus

Atualizado: Jul 3

Quando alguém pensa em Deus ou na existência de uma divindade, na maioria das vezes esse pensamento está associado a Jesus Cristo. Em grande parte, isso ocorre em razão da existência dos Evangelhos, especialmente o Evangelho de João. Ainda que os Evangelhos narrem fatos concernentes à vida de uma mesma pessoa — Jesus Cristo, eles são distintos um do outro, revelando temas e objetivos diferentes.


O Evangelho de João é o quarto e foi o último a ser escrito, por volta de 90 d.C., sendo o mais teológico dos quatro Evangelhos. Ele expõe a natureza e pessoa de Cristo e o significado da fé nEle. João afirma seu objetivo em escrever este Evangelho no capítulo 20, versículo 31: “Estes, porém, foram registrados para que creiais que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que, crendo, tenhais vida em seu nome.”


O estilo deste Evangelho também é muito interessante, pois explora o número sete repetidamente. Logo no capítulo 1, Jesus Cristo é descrito por sete títulos diferentes que serão abordados em todo o livro: “Cordeiro de Deus” (1.29); “Filho de Deus” (1.34); “Mestre” (1.38); “Messias” (1.41); “Jesus, o Nazareno” (1.45); “Rei de Israel” (1.49) e “Filho do Homem” (1.51). Este Evangelho também apresenta os sete sinais que autenticam a mensagem de Jesus (2.1–11; 4.46–54; 5.1–18; 6.1–14; 6.16–21; 9.1–41; 11.1–44) e os sete “Eu Sou” que afirmam Sua divindade (6.35; 8.12; 10.7, 9, 11, 14; 11.25; 14.6; 15.1, 5).


Temos muitos conceitos teológicos expostos no Evangelho de João. Destacamos pelo menos cinco que o evangelista enfatiza: (1) Deus Pai, (2) Jesus Filho, (3) Espírito Santo, (4) Vida Eterna/Salvação e (5) Testemunho.


1. Deus Pai

Deus é referido como Pai neste Evangelho mais do que em qualquer outro. Isto aponta para o fato de que Deus Pai possui um relacionamento único com Seu Filho unigênito (3.16, 18). O Pai exige que aqueles que serão salvos creiam no Seu Filho (6.29) e diz que Sua ira está sobre aqueles que rejeitam seu Filho (3.36). Porém, aqueles que creem no Filho são nascidos de Deus e se tornam seus filhos (1.12, 13; 20.17). Baseado neste Evangelho, filhos de Deus são somente aqueles que estão em Jesus Cristo, o Filho unigênito de Deus.


2. Jesus Filho

Jesus é o supremo Filho de Deus que revela o Pai. Ele é a Palavra que estava desde o princípio com Deus Pai. Ele também é Deus e o agente da criação (1.1–4). A Palavra se encarnou na pessoa de Jesus e revelou a glória do Pai, cheio de graça e verdade (1.14). Ele é aquele que vem de cima, enviado ao mundo por Deus e irá retornar para Deus (3.31, 32, 34; 13.1, 3). Diante da revelação de quem Jesus Cristo é neste Evangelho, devemos responder em adoração juntamente com Tomé: “Senhor meu e Deus meu!” (20.28).


3. Espírito Santo

Jesus é aquele sobre quem o Espírito Santo desce e permanece (1.32). Diferentemente de João Batista, que batiza com água, Jesus batiza com o Espírito (1.26, 32, 33). A glorificação de Jesus (morte e subsequente exaltação) era necessária para que o Espírito fosse derramado sobre Seus discípulos (7.39). Somente aqueles que nascerem de novo pelo trabalho do Espírito entram no Reino de Deus (3.3, 5). Neste Evangelho, podemos ver como cada pessoa da Trindade cumpre seu papel específico, direcionando toda a glória ao Deus Trino!


4. Vida Eterna/Salvação

A vida eterna é definida como conhecer a Deus e a Jesus Cristo (17.3). Este conhecimento envolve um relacionamento com Deus, que no lado humano é expresso por obediência e comunhão. A vida eterna, para aqueles que creem, foi obtida no custo da vida de Jesus (6.51; 10.11, 15) e é compartilhada conosco através da palavra de Jesus (5.24; 6.63, 68). O fato de que já experimentamos da vida eterna e salvação nesta vida deve nos mover a uma busca constante por conhecermos mais de Deus e de Jesus Cristo.


5. Testemunha

Uma testemunha é alguém que sabe uma verdade e pode testificar sobre ela em um Tribunal de Justiça. A principal testemunha no Evangelho de João é o próprio Jesus Cristo, que testifica acerca da verdade. Os discípulos também têm a função de testemunhar no mundo ao lado do Consolador (15.26, 27; 16.8–11). No dia do juízo, as palavras que Jesus falou enquanto estava no mundo irão funcionar como testemunha contra aqueles que rejeitaram sua mensagem (12.48). Assim como o testemunho de Jesus trouxe perseguição e morte, e o testemunho dos discípulos trouxe o mesmo, nós hoje também iremos

enfrentar oposição e rejeição ao agirmos como testemunhas de Jesus Cristo. E, mesmo diante de situações desafiadoras, nosso Salvador nos enche de esperança quando diz: “No mundo, passais por aflições; mas tende bom ânimo; eu venci o mundo” (16.33b).


Neste breve editorial pudemos abordar um pouco do Evangelho de João, que revela Jesus Cristo como o Filho unigênito de Deus Pai. Observamos algumas características deste Evangelho e vimos diversos conceitos teológicos que João explora. Tudo isso nos ajuda a chegarmos à mais importante conclusão à qual o livro aponta: por meio da fé em Jesus Cristo, recebemos a vida eterna!


Editorial de Leonardo Cordeiro


© 2018 Igreja Batista Maranata. Todos os direitos reservados.