top of page

Lidando Com os Distúrbios Alimentares

Atualizado: 18 de nov. de 2022

Enquanto nos aproximamos das festas de final de ano, temos refletido nos editoriais sobre assuntos pertinentes a este período. Na semana passada discorremos sobre o pecado da gula (Hora dos Banquetes!),e hoje falaremos sobre o seu oposto. O objetivo deste editorial é listar algumas verdades da Palavra de Deus que podem ajudar alguém que luta contra a bulimia¹ e a anorexia².


Você tem esperança, pois Jesus Cristo se encarnou, viveu, morreu e ressuscitou!


“Justificados, pois, mediante a fé,

temos paz com Deus por meio de nosso Senhor Jesus Cristo;

por intermédio de quem obtivemos igualmente acesso, pela fé,

a esta graça na qual estamos firmes; e gloriamo-nos na esperança da glória de Deus.”

(Romanos 5.1, 2)


Em geral, uma pessoa que luta contra o pecado da anorexia carrega uma culpa significativa, pois não é uma luta comum no meio cristão. Por isso, é ainda mais importante reafirmar a esperança que possuímos no Evangelho. A Bíblia afirma que todos pecaram e ficaram abaixo do padrão de Deus, e que somos justificados não pelo que fazemos, mas por aquilo que Jesus Cristo fez por nós em Sua vida, morte e ressurreição! (Romanos 3.23–26).


Quando depositamos nossa fé em Jesus Cristo e nos arrependemos dos nossos pecados, temos a esperança de que seremos transformados e estaremos com o nosso Deus para sempre. Essa esperança não é algo que “esperamos” acontecer, mas uma realidade prometida por Deus e mediada por sua Palavra inerrante. Isso significa que se um cristão confessa os seus pecados e caminha buscando crescimento espiritual, não existe razão para culpa ou vergonha, pois “vos despistes do velho homem com os seus feitos e vos revestistes do novo homem que se refaz para o pleno conhecimento, segundo a imagem daquele que o criou” (Colossenses 3.9b, 10).


Sonde seu coração e se arrependa dos ídolos do coração que o levam ao pecado da anorexia


“Infiéis, não compreendeis que a amizade do mundo é inimiga de Deus?

Aquele, pois, que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus.”

(Tiago 4.4)


No capítulo 4 de Tiago, o autor se propõe a responder qual é a origem das contendas. Dessa forma, ele revela uma realidade ainda mais profunda de que todo pecado tem pelo menos três níveis: o nível do comportamento (versículo 1), o nível dos desejos (versículos 2 e 3) e o nível da adoração (versículo 4). Na lógica bíblica, o nível da adoração é o responsável por direcionar os desejos e comportamento, sendo então a zona de batalha mais importante na luta contra o pecado.


Quando pensamos nos pecados da bulimia e anorexia, alguns ídolos comuns podem ser beleza, fama, vanglória etc. É importante sondar o próprio coração para observar se o estereotipo do mundo sobre aparência, beleza e sucesso não tem cativado mais suas afeiçoes do que o Senhor Jesus Cristo. Se alguém está mais ocupado consigo mesmo e constantemente punindo a si mesmo por não gostar do que vê no espelho, esta pessoa está sendo orgulhosa e egoísta, valorizando mais sua opinião do que a de Deus.


Lembre-se que o nosso Salvador renunciou a Sua glória e beleza ao Se humilhar tornando-Se homem, e foi desprezado e rejeitado por todos ao viver uma vida santa. Ainda assim, Ele nos amou até o fim, morrendo em nosso lugar, e alcançando vitória quando ressuscitou ao terceiro dia. É este mesmo Senhor que nos chama a tomarmos a nossa cruz e segui-lO, e que nos ensina a amar a Deus e ao próximo.


Viva para agradar somente ao Senhor Jesus Cristo


“É por isso que também nos esforçamos,

quer presentes, quer ausentes, para lhe sermos agradáveis.

Porque importa que todos nós compareçamos perante o tribunal de Cristo,

para que cada um receba segundo o bem ou o mal que tiver feito por meio do corpo.”

(2 Coríntios 5.9, 10)


Parte da luta de alguém lidando com distúrbios alimentares é quem essa pessoa procura agradar: a si mesmo ou a Deus. O texto acima afirma que o cristão deve não somente buscar, mas sim se esforçar para agradar ao Senhor Jesus Cristo. Isso significa que em todas as decisões do cristão ele deve estar focado em agradar a Deus e não a si mesmo.


Mas como saber o que agrada a Deus? A única maneira de descobrir é conhecendo mais da Bíblia, a Palavra de Deus. Em relação ao assunto em questão, Deus não Se agrada, por exemplo, quando alguém induz o vômito e expele os alimentos que ingeriu ou quando alguém faz uso sistemático de laxantes. Esse tipo de atitude busca minimizar ou destruir a lei de causa e efeito que Deus estabeleceu no universo (Gálatas 6.7­, 8). Isto é, quando alguém ingere alimentos, o processo natural é que estes alimentos sejam digeridos e provejam nutrientes para o corpo se manter e se desenvolver. Alguém que busca se livrar das consequências de comer e se alimentar de um processo que Deus criou está buscando se estabelecer como deus, e de maneira autônoma criando suas próprias leis. Além do mais, indivíduos que têm distúrbios alimentares costumam estar abaixo do peso ou serem subnutridos, revelando que eles não têm agradado a Deus na maneira em que se alimentam, e sim a si mesmos.


Exerça domínio próprio como evidência da salvação recebida


“Mas o fruto do Espírito é:

amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade,

bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio.

Contra estas coisas não há lei.”

(Gálatas 5.22, 23 – Ênfase do autor)


Conforme discorremos no último editorial intitulado “Hora dos banquetes!”, o conceito bíblico de domínio próprio é de extrema importância também no tema de distúrbios alimentares. Domínio próprio se refere à habilidade concedida pelo Espírito Santo para evitar excessos e permanecer dentro dos limites estabelecidos por Deus para nossas vidas. É uma habilidade cultivada para fazer o que é certo apesar dos nossos desejos.


Sendo assim, o cristão que luta contra os distúrbios alimentares deve exercer domínio próprio para não comer mais do que deveria e ser tentado a expelir os alimentos. Também é importante que a pessoa saiba qual é a quantidade apropriada de comida a ser ingerida em cada refeição para que não fique subnutrida, mas tenha força para servir a Deus com seu corpo. Uma recomendação para quem sofre com isso é buscar ajuda médica, provavelmente visitando um nutricionista, que poderá informar se o indivíduo está abaixo do peso ou não, e instrui-lo sobre sua alimentação.


Lidar com os distúrbios alimentares é um desafio, mas o nosso Salvador garante graça abundante sobre todo o processo e a certeza de que chegaremos lá até o dia que Ele vier nos buscar. Neste processo de santificação o Senhor deseja que sondemos nossos corações e nos arrependamos dos ídolos, vivendo somente para agradar a Deus ao exercermos o domínio próprio.


Editorial de Leonardo Cordeiro

¹ Bulimia: Distúrbio psíquico que ocorre predominantemente em mulheres, em geral na adolescência, caracterizado por ingestão excessiva de alimentos, que, em seguida, são eliminados por vômito autoinduzido, acompanhado de depressão. – Michaelis – Dicionário Brasileiro da língua Portuguesa.


² Anorexia: distúrbio nervoso grave, caracterizado pelo medo obsessivo de engordar, fazendo com que a pessoa pare de se alimentar, fique desnutrida e tenha sua vida ameaçada. – Michaelis – Dicionário Brasileiro da língua Portuguesa.

Comments


bottom of page