Muito além do canto do galo

O pesadelo se inicia ao cantar do galo

Podemos nos identificar com a narrativa da negação de Pedro, pois se ainda não aconteceu nas nossas vidas, é muito provável que passaremos por angústias e apertos semelhantes, por não escutarmos o Mestre por causa do nosso orgulho:


“E, estando Pedro embaixo, no átrio, chegou uma das criadas do sumo sacerdote;

E, vendo a Pedro, que se estava aquentando, olhou para ele, e disse:

Tu também estavas com Jesus, o Nazareno. Mas ele negou-o, dizendo:

Não o conheço, nem sei o que dizes. E saiu fora ao alpendre, e o galo cantou.

E a criada, vendo-o outra vez, começou a dizer aos que ali estavam:

Este é um dos tais. Mas ele o negou outra vez. E pouco depois os que ali estavam disseram outra vez a Pedro: Verdadeiramente tu és um deles,

porque és também galileu, e tua fala é semelhante. E ele começou a praguejar,

e a jurar: Não conheço esse homem de quem falais. E o galo cantou segunda vez. E Pedro lembrou-se da palavra que Jesus lhe tinha dito:

Antes que o galo cante duas vezes, três vezes me negarás.

E, retirando-se dali, chorou.”

(Marcos 14.66-72)


Na roça, já se sabe: não existe despertador mais cruel que um galo criado! O bicho começa no meio da madrugada e vai intenso até o raiar do dia. Porém o galo da passagem teve um efeito muito mais profundo. Ele ecoava as palavras de Jesus.


“...antes que o galo cante duas vezes, três vezes me negarás.”

(Marcos 14.30)


Mas Pedro, surdo pelo pecado, não despertava nem com esse galo soante! Até que Jesus olhou para ele, interrompendo o vergonhoso ciclo de negação da realidade:


“E, virando-se o Senhor, olhou para Pedro, e Pedro lembrou-se da palavra do Senhor, como lhe havia dito: Antes que o galo cante hoje, me negarás três vezes.

E, saindo Pedro para fora, chorou amargamente.”

(Lucas 22.61, 62)


A segunda chance – o olhar de Jesus

Jesus, após a ressureição, foi até Pedro e tratou pessoalmente essa negação, de uma forma amorosa, mas firme. Perceba o detalhe do poderoso olhar de Jesus, que vai muito além do canto do galo, o qual foi silenciado pelo pecado. O poder de alguém que, dentro de algumas horas, iria entregar Sua própria vida em resgate de muitos pecadores. Era um olhar de amor e misericórdia, que despertava o pecador!

Vários “galos, em togas emplumadas”, podem cantar em nossas mentes, acusando-nos e nos envergonhando: as consequências de nossos erros e pecados, a consciência pesada, entre outros. Mas Deus vai muito além desses “cacarejantes” alertas, pois Ele resgata pecadores! Se ficarmos meditando apenas no livro de Gênesis, vemos inúmeras vezes “galos cantando acusações” e Deus intervindo, não deixando os patriarcas seguirem seus caminhos tortos. O olhar de Deus vê o caos humano, que despreza as sirenes de tempestades, tremores e os “cocoricós” do pecado. Por isso, acima da catástrofe do engano, Deus livra, disciplina, salva e preserva, dando uma segunda chance aos Seus filhos.


O final surpreendente da história

A história de Pedro não acabou no canto do galo, pois o “cacarejar” doído foi contrastado com o olhar misericordioso de Jesus, fazendo Pedro se arrepender. Dias depois, Pedro, com um coração moído como a areia da praia, recebeu o resgate amoroso de Jesus. Pedro ainda estava escorregadio em suas palavras, visto que, em sua arrogância, pecou em negações, mentiras e maldições. Mas as Palavras de Jesus agora apresentam uma nova missão, um novo alvo! Se você se identificou com Pedro, a Palavra de Deus promete uma segunda chance para os arrependidos:


“Bem vos dará o Senhor pão de angústia e água de aperto, mas os teus mestres nunca mais fugirão de ti, como voando com asas; antes os teus olhos verão a todos os teus mestres. E os teus ouvidos ouvirão a palavra do que está por detrás de ti, dizendo: Este é o caminho, andai nele, sem vos desviardes nem para a direita nem para a esquerda.”

(Isaías 30.20, 21)


Editorial de Nilson Silva



© 2018 Igreja Batista Maranata. Todos os direitos reservados.