Nomes de Deus: El Gibbor

Uma característica inerente à natureza humana é a fraqueza. Você já se percebeu fraco? Não temos força em nós mesmos para controlar o nosso próprio coração, e menos ainda para controlar o mundo que nos cerca. O homem, deparando-se com essa situação, trilha diversos caminhos buscando a força que lhe falta. Contudo, há uma boa notícia para os fracos: Deus é Forte e Poderoso.


O Significado


Deus é descrito em diversas passagens do Antigo Testamento como El Gibbor (Deuteronômio 10.17; Isaías 9.6; 10.21; Sofonias 3.17). O vocábulo ''El'' vem de Elohim, e é usado para referir-se a Deus indicando Sua supremacia, majestade e poder. O adjetivo ''Gibbor'' transmite a ideia de força e poder, um valente guerreiro, herói. Também é usado para homens em algumas passagens (Josué 1.14; 2 Samuel 23.8). Para entender melhor como esse nome manifesta o caráter de Deus vamos olhar para os textos bíblicos citados.


''Pois o Senhor, o seu Deus (Elohim),

é o Deus dos deuses e o Soberano dos soberanos,

o grande Deus, poderoso (Gibbor) e temível,

que não age com parcialidade nem aceita suborno.''

(Deuteronômio 10.17 – NVI – ênfase do autor)


O versículo acima apresenta o povo de Israel sendo confrontado com o grande poder de Deus, Criador de tudo que existe, e com o amor fiel dEle por eles e seus antepassados. São chamados a seguir a Aliança e a temer a Deus de todo coração. Eles devem fazer isso pois Deus é Poderoso (Gibbor). E sendo tão poderoso, jamais age com parcialidade ou aceita suborno. Não se importa com quem tem poder ou influência neste mundo e cuida dos que nada têm (Deuteronômio 10.18 – órfãos, viúvas e estrangeiros). Ou seja, o poder de Deus é um chamado a confiarmos nEle. O Seu poder nos dá a garantia de que Ele é totalmente confiável, e por isso podemos entregar nosso coração e mente a Ele em Seu serviço.


''Cante, ó cidade de Sião; exulte, ó Israel! Alegre-se, regozije-se de todo o coração,

ó cidade de Jerusalém! O Senhor anulou a sentença contra você,

ele fez retroceder os seus inimigos. O Senhor, o Rei de Israel, está em seu meio;

nunca mais você temerá perigo algum. Naquele dia se dirá a Jerusalém:

Não tema, ó Sião; não deixe suas mãos enfraquecerem.

O Senhor, o seu Deus (Elohim), está em seu meio, poderoso (Gibbor) para salvar.

Ele se regozijará em você, com o seu amor a renovará,

ele se regozijará em você com brados de alegria."

(Sofonias 3.14–17 – NVI – ênfase do autor)


Sofonias apresenta o Senhor como poderoso guerreiro e salvador. Porque Ele está no meio de Seu povo, não há mal nenhum a temer. O poder de Deus afasta todo medo e é um chamado para a alegria (versículo 14). Ele é força para os fracos e alegria para os temerosos. Ter um relacionamento de intimidade com o Senhor é a maior alegria desta vida. É tudo que importa! O próximo texto é a maior evidência dessa verdade, pois o próprio Deus providenciou que tivéssemos um relacionamento com Ele por meio de seu Filho Jesus:


“Porque um menino nos nasceu, um filho nos foi dado,

e o governo está sobre os seus ombros.

E ele será chamado Maravilhoso Conselheiro,

Deus (El) Poderoso (Gibbor), Pai Eterno, Príncipe da Paz.”

(Isaías 9.6 – NVI – ênfase do autor)


O profeta, diante de toda devastação causada pelos inimigos do povo de Deus, não anuncia um grande líder militar. Na verdade, Isaías anuncia a vinda do Messias e o estabelecimento do seu Reino. Ele anuncia Jesus, o Deus Forte, que viria encarnado como criança. Em outras palavras, ''a resposta de Deus para tudo que já nos aterrorizou é uma criança. O poder de Deus é tão superior aos assírios e a todos os figurões deste mundo que ele pode derrotá-los vindo como uma mera criança'' (Dr. Thomas L. Constable). Em Jesus, vemos a manifestação do Poder de Deus ao humilhar-Se e abrir mão de Sua glória, sujeitando-Se à morte para que o Seu povo fosse resgatado. O Senhor Jesus, nosso Deus Forte, entregou-Se a Si mesmo e sofreu o nosso sofrimento. Manso e Humilde de coração, Ele nos chama a encontrar descanso nEle (Mateus 11.29).


Aplicações:


● Precisamos estar atentos ao amor fiel de Deus e o Seu poder manifestado ao longo de nossas vidas, lembrando de quem éramos: inimigos de Deus, amantes das coisas que Ele odeia. Ainda assim, com Seu poder e misericórdia, resgatou e cuidou de cada um de nós. Vamos manter essas lembranças vivas e se preciso, por escrito. Assim os nossos corações serão levados à confiança em Deus.


● Reflitamos sobre a segurança que temos no poder de Deus. Quando temos medo, deixamos de confiar no poder de Deus e em Seu amor por nós. Ele está em nosso meio, e temos um relacionamento com Ele no qual Ele mesmo nos garante. Seja essa verdade a verdadeira razão de nossa alegria: O Deus Forte é nosso amigo.


● Reflitamos também sobre a manifestação do poder de Deus na pessoa de Jesus. Como podemos ser orgulhos quando o próprio Deus Forte se humilhou? O puritano Richard Baxter nos ajuda: ''Você consegue ser orgulhoso ao mesmo tempo em que crê que seu Salvador se revestiu de carne, viveu modestamente, esvaziou-se e foi desprezado, zombado e cuspido pelos pecadores, foi vergonhosamente tratado e pregado em uma cruz como um criminoso comum? Será que Cristo assumiu para Si a forma de servo para que você pudesse dominar e ocupar o ponto mais elevado de honra? Jesus suportou pacientemente ser cuspido e esmurrado para que você pudesse, com orgulho impaciente, maltratar outras pessoas?''.


Portanto, diante da realidade de que somos fracos, busquemos a força em Deus, que é poderoso e Se alegra quando humildemente O buscamos.


Editorial de Matheus Carneiro