O verdadeiro descanso é Jesus

A busca pela felicidade é algo que existe desde os tempos mais primórdios da civilização. Diversas religiões criam e defendem formas de como resolver esse grande dilema do homem. Nesse contexto, um padrão comum emerge dessas teorias apontando para caminhos diversos, mas que têm algo em comum: você precisa se esforçar para merecer sua felicidade. Enquanto essas religiões ou filosofias colocam um fardo pesado sobre seus seguidores, Jesus apresenta um convite diferente: descansar nEle (Mateus 11.28-30; Hebreus 4).


O que é descansar?

Primeiramente para você entender o que é descansar, precisa reconhecer o seu cansaço. O ser humano vive uma vida tentando correr atrás de coisas vãs (Eclesiastes 1.14), se cansando e não conseguindo descanso para a alma (Eclesiastes 2.22). Ao perceber essa realidade, ele busca dentro de si mesmo alguma virtude, alguma obra, algum relacionamento que o possa completar. Mas, o que ele consegue é apenas se fatigar ainda mais ao tentar por si mesmo, sentir-se melhor. O descanso é abandonar todas as tentativas de fazer boas obras (Hebreus 4.10) como se elas trouxessem mérito perante Deus, render-se como um verdadeiro culpado e incapaz, para então se entregar a Jesus (Mateus 11.28).


Como descansar?

Hebreus 4 é um texto que apresenta o descanso do povo de Deus baseando-se na história do povo de Israel. O autor evidencia que entrar no descanso de Deus vem de ouvir suas boas novas (Hebreus 4.6) e não endurecer o coração a essa mensagem (Hebreus 4.7). Na história do povo de Israel, quase todos os que saíram do Egito não entraram na terra prometida porque duvidaram que Deus a daria a eles, de forma que não entraram no seu descanso (Hebreus 4.3). Em Mateus, Jesus reforça a ideia de que o descanso está nEle próprio, de forma que é necessário ir a Ele (Mateus 11.28) e tomar o seu jugo e aprender dEle (Mateus 11.29). Dessa forma, vemos o mesmo padrão de ouvir as boas novas de Cristo, aprender e obedecer. A princípio, ler que é necessário tomar o jugo de Jesus parece mais uma obra cansativa a ser feita, porém Ele logo evidencia que o seu jugo é suave e o seu fardo é leve (Mateus 11.30) e, por isso, descansamos.


Quais as evidências de alguém que descansou?

Certamente todos querem ter o descanso e, devido à aparente subjetividade da questão, é possível que descansar em Jesus se torne algo metafísico e não prático. No entanto, vemos nesses textos que não é bem assim. Ao final da sua argumentação sobre o descanso, o autor de Hebreus nos lembra que a Palavra de Deus é viva e eficaz e capaz de evidenciar se estamos ou não nesse descanso, ao discernir nossos pensamentos e intenções. Dessa forma, esse deve ser nosso padrão. E em Mateus, Jesus acrescenta ao dizer que quem descansa nEle aprende mansidão e humildade (Mateus 11.29). De fato, alguém que reconhece que suas obras não trazem descanso, não pode continuar a se orgulhar de sua performance (tendo de ser humilde) e, tampouco, irá continuar a se esforçar para reivindicar seus direitos (tendo de ser manso). Portanto, alguém que ao ser confrontado pela Palavra não apresenta essas características é porque ainda não entrou, de fato no descanso de Cristo.


A mensagem do Evangelho enfatiza que o verdadeiro descanso é Cristo Jesus. Se você procurar em qualquer outra pessoa, coisa, ideia, você não vai se satisfazer. O cansaço das suas próprias obras supostamente boas só vai te trazer mais cansaço. O descanso de Jesus te fará alguém parecido com Ele: manso e humilde. Dessa forma, se renda ao senhorio de Cristo em todos os aspectos da sua vida e, enfim, encontrará descanso, o verdadeiro descanso para sua alma.


Editorial de Tássio Cavalcante



© 2018 Igreja Batista Maranata. Todos os direitos reservados.